O anúncio feito pela CMTV de um calendário com debates a dois entre todos os candidatos à presidência do Sporting a começar já esta sexta-feira com Frederico Varandas e João Benedito acabou por precipitar a realização de um encontro (em dois dias) entre a Comissão de Gestão do clube e membros das sete listas candidatas à presidência dos leões. No final do mesmo, foi emitido um comunicado explicando aquilo que ficou definido como “plano de cobertura mediática” interno até ao sufrágio eleitoral que se vai realizar no dia 8 de setembro.

Assim, e além das habituais entrevistas aos cabeças de lista de Conselho Diretivo, Mesa da Assembleia Geral e Conselho Fiscal e Disciplinar que sairão no jornal e no site do clube, ficou decidido de comum acordo que a Sporting TV terá o primeiro e o último debate a sete com todos os candidatos, já com datas definidas: domingo, dia 19, e sexta-feira, dia 7 de setembro, véspera do sufrágio. Em paralelo, e ao longo de dez dias (20 a 30 de agosto), existirão debates individuais a dois entre candidatos, além de entrevistas individuais entre 31 de agosto e 6 de setembro e de debates entre os cabeças de lista à Mesa da Assembleia Geral (dia 24) e ao Conselho Fiscal e Disciplinar (dia 27). De assinalar ainda algo inédito que será introduzido nestas eleições pelo clube verde e branco – cada lista passará a ter um espaço diário de Direito de Antena até três minutos, captados com meios próprios.

“Importa referir que, ao longo deste processo, todas as candidaturas expressaram a vontade e a disponibilidade em privilegiar sempre os órgãos de comunicação do Sporting, nomeadamente a Sporting TV, mesmo existindo alguma interferência com compromissos já assumidos”, destacou a Comissão de Gestão em comunicado, sublinhando ainda que as ordens de debates e entrevistas saíram por sequências sorteadas nessa mesma reunião.

No entanto, este foi um tema que esteve longe de gerar consensos, existindo ainda agora posições divergentes não em relação ao que será feito na TV do clube mas sim no que toca a tudo o resto, sobretudo nos canais generalistas e por cabo (todos contactaram os candidatos, propondo modelos diferentes entre si).

Esta terça-feira, João Benedito já tinha aberto hostilidades. “A candidatura do Dr. João Benedito já foi contactada para a realização de vários debates, em vários órgãos de comunicação social, em vários formatos. A candidatura não confirmou a presença em nenhum debate, não participou na calendarização direta ou por sorteio de nenhum conjunto de debates, pelo que a utilização do seu nome é novamente indevida. Só amanhã [quarta-feira, que se prolongou para quinta-feira] decorrerá uma reunião no clube com as várias candidaturas, onde contribuiremos para que seja definida uma solução consensual que privilegie a Sporting TV enquanto canal próprio do clube, que garanta equidade entre os vários candidatos, que assegure a defesa intransigente dos superiores interesses do SCP e dos seus sócios. Só após esta reunião a candidatura tomará a sua decisão”, anunciou a lista A.

“Sinto-me forçado a comunicar que as datas dos debates tornadas públicas pela CMTV não foram em nenhuma circunstância confirmadas por esta candidatura, que aliás protestou logo no primeiro contacto contra um calendário que objetivamente prejudica candidaturas como a nossa, tentando retirar-nos do ar durante a última semana antes das eleições, beneficiando outras, nomeadamente a do sócio José Maria Ricciardi, dando-lhe palco privilegiado nos últimos dois dias. Mais comunico que darei sempre prioridade no agendamento à Sporting TV, muitas vezes prejudicada neste contexto, o que na minha opinião não faz sentido”, frisou Rui Jorge Rego.

“Política da minha candidatura sobre os debates: 1) Darei sempre preferência e prioridade à Sporting TV a todos os formatos de debate que entendam realizar, seja num modelo frente a frente seja com os sete candidatos; 2) Aceitarei todos os debates com todos os candidatos em todos os órgãos de comunicação, desde que os mesmos não coincidam com as datas definidas pela Sporting TV”, destacou esta quarta-feira Frederico Varandas.

“Estamos disponíveis para aceitar convites para entrevistas e debates promovidos pela rádio e televisão publica e pelas rádios, televisões e jornais privados sem qualquer reserva, desde que sejam compatíveis com as agendas dos candidatos. Uma vez que se trata de eleições para os órgãos sociais do Sporting defendemos que a Sporting TV, na sua qualidade de órgão oficial do clube, assuma o protagonismo da realização de entrevistas e debates quer em quantidade quer em importância e relevo na sua programação. É isso que os sócios do Sporting esperam do canal televisivo que o clube suporta financeiramente, que é emitido em canal aberto e que, em conjunto, todos temos o dever e a responsabilidade de contribuir para o crescimento da sua audiência. Sendo comprovadamente o formato televisivo” debates a dois” aquele que assegura um maior esclarecimento quanto às ideias e projetos, este formato deve ser privilegiado (…) [Isso] não impede a aceitação de convites de outros órgãos de comunicação social para a participação neste ou noutros formatos televisivos, desde que sejam agendados para momentos distintos”, referiu hoje a candidatura de Dias Ferreira, apoiando também o sorteio na ordem dos debates.

“Muito foi o ruído comunicacional que se formou à volta do nosso clube nos últimos meses. Por esse motivo apostamos numa comunicação clara, curta e concisa, que vise sobretudo, esclarecer os sportinguistas. Estamos disponíveis desde o dia em que a nossa candidatura foi validada para participar em debates televisivos em que estejam presentes todos os candidatos em simultâneo. Este é o modo que definimos como cordial e honesto, para que todos os candidatos possam, de igual modo, discutir ideias e soluções para o nosso Sporting. Estabelecemos que faríamos um debate por canal televisivo, com exceção do canal do nosso clube que aceitamos a realização de dois debates. Não discutimos critérios editoriais mas acreditamos que com os debates já aceites os sportinguistas estarão suficientemente esclarecidos para decidir em consciência”, argumentou Fernando Tavares Pereira.

Ao Correio da Manhã, José Maria Ricciardi tinha-se mostrado disponível para todos os formatos. “Não viro as costas a nenhum debate e espero que todos venham a terreiro. Não fui eu que faltei da última vez. Espero que os debates sejam dignos e que se mantenha o respeito, algo que tem faltado nos últimos tempos”, disse. Também Pedro Madeira Rodrigues se mostrou disponível para debates com os outros candidatos.