“O empresário mais bem sucedido da minha geração”, é assim que Fernando Ülrich descreve Pedro Queiroz Pereira que morreu este sábado aos 69 anos. O antigo presidente do BPI destaca os dois fatores de sucesso do dono da Semapa. Uma grande força de vontade e determinação e uma “preocupação obsessiva em rodear-se de pessoas competentes, capazes e equipas muito fortes”. Foi assim quando organizou a compra da Secil, na privatização realizada nos anos 90, onde procurou juntar os melhores quadros e profissionais, e continuou a ser ao longo de uma carreira que levou à criação de um dos maiores grupos empresariais portugueses.

Segundo o antigo presidente do BPI, Queiroz Pereira tinha uma noção muito clara do que era ser empresário e líder dos projetos, mas sabia que não tinha de saber tudo. “Ele ouvia as pessoas e até estimulava opiniões diferentes”, queria recolher toda a informação possível. E quando chegava a hora de tomar decisões enquanto acionista, “não tinha medo de decidir”.

Para além da noção clara da distinção entre o que era um acionista e um empresário, por um lado, e os gestores, por outro, Queiroz Pereira tinha também consciência de que era finito e procupava-se em envolver as filhas no conhecimento do negócio.

Fernando Ülrich conhecia Queiroz Pereira desde criança. “Andámos no mesmo colégio”, recorda em declarações ao Observador nas quais fez questão de destacar uma das facetas menos conhecidas do empresário. “O Pedro era um sobredotado para o desporto”. E não apenas nas corridas de automóveis que o tornaram conhecido como o PQP (PêQuêPê). “Era fenomenal em todos os desportos que praticava, do futebol ao voleibol, passando pelo ténis”. Foi o desportista não profissional mais talentoso que Fernando Ülrich conheceu.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Pessoa superdeterminada, deixou um grupo muito estruturado, com negócios muito sólidos e equipas de gestão muito fortes. E nisso é um exemplo. Para Fernando Ülrich, essa consciência de que não se pode fazer tudo sozinho faz parte do seu legado como empresário, bem como a força de vontade e a determinação. Sobre a sua grande ligação à indústria, admite que terá querido retomar o legado do pai que esteve ligado a negócios de cimentos e das celuloses. E aproveitou as oportunidades que surgiram nestes setores.  Lembra ainda um projeto que Queiroz Pereira criou de raiz, o primeiro grande grupo privado de energias renováveis, a Enersis, que acabou por vender em 2005 para ajudar a financiar a compra da Portucel.

O industrial Pedro Queiroz Pereira, presidente do conselho de administração da Semapa e da Navigator, e dono de uma das maiores fortunas de Portugal, morreu no sábado ao final da noite. A notícia foi confirmada ao Observador por uma fonte da papeleira. Pedro Queiroz Pereira tinha 69 anos.