A Volkswagen já assumiu publicamente que, embora seja o maior construtor mundial de automóveis, encara muito mais o seu futuro (a médio/longo prazo) como fornecedora de soluções de mobilidade. Essa ideia começa a ganhar corpo, com o anúncio de que já no segundo trimestre de 2019, o construtor de Wolfsburg irá colocar uma frota de 2.000 veículos a operar em Berlim, na Alemanha, sob o chapéu da nova empresa We Share.

Como o nome indica, as viaturas destinam-se ao carsharing, com a Volkswagen a adiantar desde já que estima um crescimento de 15% ao ano para o segmento da partilha de veículos na Europa.

VW arranca com carsharing eléctrico em 2019

Mas os Volkswagen que entrarão ao serviço têm uma particularidade: são exclusivamente eléctricos. Colocando em operação 1.500 e-Golf e 500 e-Up, a marca alemã espera ir “viciando” os utilizadores na mobilidade zero emissões, conseguindo desta forma ir mostrando ao público as vantagens da electrificação, ao mesmo tempo que factura e faz ajustes ao serviço. Isto antes mesmo de ter disponível a sua nova geração de eléctricos a bateria, modelos desenhados de raiz para serem movidos a electricidade e que começarão a ser comercializados a partir de 2020.

Queremos aliciar os utilizadores jovens e urbanos a aderir à mobilidade eléctrica”, avançou Jürgen Stackmann, membro do conselho de administração da Volkswagen.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

O primeiro modelo da nova família de eléctricos da Volkswagen a chegar ao mercado será o I.D. Neo – o nome confirma-se, pois foi recentemente mencionado de forma oficial.

Neo. Este é o Volkswagen I.D. eléctrico de 2019

Depois do hatchback, surgirão o Pão de Forma eléctrico, para já conhecido como I.D. Buzz, o SUV I.D. Crozz, sendo o quarto elemento desta nova gama o I.D. Vizzion.