Com o adiantar do relógio, uma certeza: a fila para votar estava cada vez menor. Depois do pico assistido entre as 9h e as 12h, quando votaram os três primeiros candidatos (Benedito, Varandas e Ricciardi), a afluência mantinha-se mas as pessoas começavam a chegar mais espaçadamente, o que levava a menor tempo de espera. Está explicado o porquê de Rui Jorge Rego, chegado à fila em plena hora de almoço, ter demorado pouco mais de meia hora até exercer o seu direito ao voto.

O tempo de contacto com os associados na fila foi pouco, mas bom, numa experiência diferente para o candidato que propõe o presidente da SAD do Leixões, Paulo Lopo, para assumir a direção da SAD (administração do futebol) leonina.

“Foi maravilhoso ter este contacto com as pessoas, nem podia ser de outra forma. Já esperava tanta gente e tão boa receção, mas foi a primeira vez que votei com toda esta atenção, debaixo dos holofotes das câmaras“, confessou.

Um dia com Rui Jorge Rego: com a lasanha houve uma renúncia e um desmentido; ele preferiu o projeto (e uma fatia de bolo)

O quinto candidato a votar garantiu que vai contribuir para a união do clube depois das eleições e mostrou-se satisfeito com a afluência às urnas.

Amanhã pensarei sempre no Sporting, quer ganhe ou perca. Não serei oposição caso não ganhe e espero que ninguém o seja caso eu ganhe. O Sporting não precisa de mais conflitos internos”, referiu, acrescentando: “Quando hoje acordei e liguei a televisão na Sporting TV fiquei muito satisfeito por ver a afluência dos sócios do Sporting. Acho que é efetivamente a primeira vitória. Isto é que é um sinal de vitalidade”.

“Grande diferença para os outros? A profissionalização da SAD”: Rui Jorge Rego foi o oitavo a formalizar listas

Garantindo que o Sporting é “um clube unido”, Rui Jorge Rego recusou comentar as críticas de José Maria Ricciardi à Comissão de Gestão, preferindo enaltecer o amor pelo clube e o “futuro brilhante” que terá pela frente.

“Um clube só pode ser grande e viver muitos anos se souber ao longo da sua vida ir criando novos líderes, novas gerações de líderes, e acho que o Sporting também aqui é pioneiro e é sinal que temos um futuro brilhante pela frente”, referiu, concluindo: “Eu sou do Sporting, não sou do candidato A ou do candidato B, sou do clube maravilhoso que aqui está. Sempre que o Sporting me chamar estarei aqui à disposição”.