A Polícia Judiciária do Porto deteve, na manhã desta sexta-feira, um homem e uma mulher por suspeitas de burla, peculato e administração danosa. Os detidos são marido e mulher e dirigem uma instituição de solidariedade social, em Vila Nova de Gaia. A investigação acredita que, durante vários anos, desviaram o dinheiro de donativos recolhidos para vários obras de carácter solidário e social.

Os factos agora investigados terão acontecido desde 2010, ano em que a instituição perdeu o reconhecimento de pessoa coletiva, depois de várias denúncias. Ainda assim, os suspeitos terão continuado com o mesmo esquema.

Os detidos, um casal de 70 e 75 anos, recorriam “por vezes” a um colaborador, alguém “carenciado”, que os ajudava na angariação de donativos. Segundo fonte da PJ, os três recorriam a particulares e a empresas para recolherem dinheiro, alegando que se destinava a ajudar famílias carenciadas. Depois, porém, ficariam com os valores doados. “Ostentavam, por isso, uma vida desafogada. E a pessoa que os ajudava nada recebia”, acrescentou a fonte.

Em comunicado, a Polícia Judiciária estima que os suspeitos tenham desviado “milhares de euros, provenientes de donativos”, utilizados depois “para pagamento de despesas pessoais, efetuando assim gastos não relacionados com o objetivo da instituição, cujos interesses deveriam defender”.

Presidente da Direção e Coordenadora da instituição vão agora ser presentes a um juiz, para primeiro interrogatório, que vai determinar as medidas de coação a que ficarão sujeitos.