Crianças

Uma palavra-passe pode ter salvado uma criança de um rapto iminente

4.462

Um homem tentou convencer uma criança de 10 anos a entrar no carro onde seguia, no estado norte-americano do Arizona. Mas acabou por desistir quando a menina exigiu uma senha que só os pais sabiam.

As autoridades estão à procura do homem com cerca de 40 anos que abordou a criança

Getty Images/iStockphoto

Aconteceu na semana passada, a meio da tarde de quarta-feira. Uma menina de 10 anos passeava com uma amiga perto de um parque do bairro onde morava em San Tan Valley, no estado norte-americano do Arizona, quando um carro branco se aproximou e parou perto da criança. De lá de dentro, um homem disse-lhe que os irmãos tinham tido uma acidente muito grave e que, por isso, teria de o acompanhar. A menina não se deixou impressionar e perguntou ao homem qual era a “palavra passe”. O homem, que não sabia que palavra passe era essa que a criança falava, acabou por se afastar, para não ser visto ali.

Muitos parabéns aos pais desta criança por usarem uma palavra passe e terem conversado com os seus filhos sobre os perigo de falar com estranhos”, disse o xerife Mark Lamb em declarações à ABC 15.

Os pais da menina tinham ensinado a filha a perguntar a palavra passe a quem se tentasse aproximar dela. Apenas os familiares sabiam que palavra passe era essa. Assim, este método permitiria à criança distinguir em quem poderia ou não confiar.

Desta vez, salvou a vida de minha filha“, disse Brenda James, a mãe da menina, à ABC 15.

Ao mesmo tempo que as autoridades encorajam os pais a colocar em prática este método na educação dos filhos “para que eles saibam o que fazer se estiverem num situação como esta”, estão empenhadas em encontrar o suspeito. O homem tem cerca de 40 anos e uma barba curta, de acordo com os dados que a menina de 10 anos conseguiu dar — que não foram muitos, uma vez que o homem terá tapado a maior parte do rosto com a mão, enquanto abordava a criança, na tentativa de esconder características que o pudessem vir a identificar. Várias crianças do bairro informaram também as autoridades que já tinham visto o carro que o suspeito conduzia, várias vezes, na zona do parque, naquele dia.

    Se tiver uma história que queira partilhar ou informações que considere importantes sobre abusos sexuais na Igreja em Portugal, pode contactar o Observador de várias formas — com a certeza de que garantiremos o seu anonimato, se assim o pretender:

  1. Pode preencher este formulário;
  2. Pode enviar-nos um email para abusos@observador.pt ou, pessoalmente, para Sónia Simões (ssimoes@observador.pt) ou para João Francisco Gomes (jfgomes@observador.pt);
  3. Pode contactar-nos através do WhatsApp para o número 913 513 883;
  4. Ou pode ligar-nos pelo mesmo número: 913 513 883.
Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: cbranco@observador.pt
Cancro

Dia Internacional das Crianças com Cancro

João de Bragança
2.841

O mundo doloroso das crianças e jovens com cancro é isto: a falta de leis, de apoios sociais, de condições ou de políticas, o excesso de protagonismos ou de pequenas lutas próprias.

Crianças

Netos 5.0 sem birras? /premium

Laurinda Alves
590

Não sei se já repararam que hoje as crianças fazem menos birras fora de casa. Sempre que uma vai abrir a boca para gritar, chorar ou pedinchar alguma coisa, basta dar-lhe um telemóvel para a entreter.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)