Hotelaria

Marriott e Carlyle compram Penha Longa Resort por 100 milhões

117

Negócio de venda do hotel de luxo, em Sintra, deverá estar fechado muito brevemente e já foi comunicado a Bruxelas. Grupos Marriott e Carlyle deverão pagar cerca de 100 milhões de euros.

O Penha Longa Resort, hotel de luxo em Sintra e palco habitual do encontro anual do Banco Central Europeu, vai ser vendido ao grupos Carlyle e o Marriott. A unidade hoteleira, atualmente detida pelo Deutsche Bank, deverá ser adquirida por um valor próximo dos 100 milhões de euros, avança o Jornal de Negócios na sua edição desta sexta-feira.

O negócio liderado pela cadeia hoteleira Marriott e pelo grupo de capital de risco Carlyle, que já foi comunicado à Comissão Europeia, envolve a assessoria da CBRE, e deverá estar concluído “muito brevemente”.

O Penha Longa Resort estava nas mãos de um grupo de empresas: Deutsche Bank España, Espart (braço imobiliário do Grupo Espírito Santo), e Metrópolis (grupo espanhol) desde 2003, ano em que foi comprado por 50 milhões de euros. O hotel — com 194 quartos, cinco restaurantes, dois campos de golfe e um spa — está numa propriedade com uma área total de 220 hectares. Na mesma área encontra-se o Palácio e o Mosteiro da Penha Longa, do século XIV. Com a categoria de cinco estrelas, é um dos hotéis mais exclusivos do país e, desde 2014, o local escolhido pelo BCE para reunir os principais banqueiros centrais de todo o mundo.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Civilização

A evidência é desprezada?

António Cruz Gomes

Ainda que nascidos transitórios – para viver no mundo, com o mundo e pelo mundo – fomos indelevelmente marcados por uma aspiração transcendental.

Crónica

Partir A. Ventura /premium

José Diogo Quintela

Ventura quer mudar o sistema por dentro. É uma espécie de supositório humano: faz-se introduzir no organismo para depois exercer a sua influência. Ei-lo metade glicerina, metade convicção ideológica.

Cristianismo

Nos portais do mistério, com Charles Péguy

Jaime Nogueira Pinto

De maioria que éramos, dominante e governante, e por isso até arrogante, nós cristãos, na Europa e no mundo, estamos a ficar minoria e voltámos a ser perseguidos, alvo de atentados, de discriminações.

Civilização

A evidência é desprezada?

António Cruz Gomes

Ainda que nascidos transitórios – para viver no mundo, com o mundo e pelo mundo – fomos indelevelmente marcados por uma aspiração transcendental.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)