A candidatura de Fernando Ribeiro Mendes, antigo colaborador de Tomás Correia mas que formou lista dissidente, vai ser recebido esta segunda-feira pelo ministro José António Vieira da Silva, para denunciar “eventuais irregularidades, suspeições e riscos de fraude no processo eleitoral” nas eleições para a Associação Mutualista Montepio. A audiência, que a lista B tinha pedido na semana passada, “com caráter de urgência”, ocorre a poucos dias das eleições (7 de dezembro) mas numa altura em que muitos associados já estão a votar por carta.

Vieira da Silva vai receber, além de Ribeiro Mendes, João Proença, João Costa Pinto, João Carvalho das Neves e Nuno Cunha Rolo. Estas são algumas das principais figuras da lista B, que manifestou “apreensão sobre a legalidade em que decorrem as eleições”. Um dos principais argumentos da lista é que a comissão eleitoral é composta por quatro membros da lista A, a par de um membro da lista B e outro da lista C.

Uma reportagem recente da TVI denunciou casos de alegada falsificação de assinaturas em boletins de voto, maioritariamente enviados por carta, além da tentativa de influenciar associados e funcionários a votar na lista de Tomás Correia.

Mutualista Montepio passa para a supervisão dos seguros. Tomás Correia fica menos seguro?

Existe, também, a candidatura do empresário António Godinho, que lidera a lista C.