Ministério da Saúde

Ministério diz estar a trabalhar com técnicos de diagnóstico mas lembra prioridades do país

O Governo está a trabalhar para tentar aproximar-se às expectativas dos técnicos de diagnóstico e terapêutica, mas ministra da Saúde lembra que é necessário "escolher as prioridades certas".

Os técnicos superiores de diagnóstico e terapêutica começaram esta quarta-feira uma greve que irá decorrer, em dias intercalados, ao longo deste mês

TIAGO PETINGA/LUSA

A ministra da Saúde afirmou esta quarta-feira que o Governo está a trabalhar para tentar aproximar-se às expectativas dos técnicos de diagnóstico e terapêutica, mas lembrou que é necessário “escolher as prioridades certas”.

“Continuamos a trabalhar no sentido de nos aproximarmos às expectativas [dos técnicos de diagnóstico e terapêutica]”, afirmou esta quarta-feira aos jornalistas a ministra Marta Temido.

A ministra lembrou que, na próxima segunda-feira, haverá reuniões com os sindicatos que representam estes profissionais, que começaram esta quarta-feira uma greve que irá decorrer, em dias intercalados, ao longo deste mês. Apesar de considerar que o Governo tem feito “o máximo caminho possível para responder às aspirações” destes profissionais, a ministra da Saúde avisa que há que olhar para as prioridades do país.

“Aplica-se a este grupo profissional o que se aplica a outros: os portugueses não nos perdoariam se não escolhêssemos as prioridades certas. Isso implica combinar um conjunto de respostas que muitas vezes são conflituantes”, declarou Marta Temido à margem de uma sessão em Lisboa onde foi apresentada o relatório do Conselho Nacional de Saúde “Gerações Mais Saudáveis”.

A ministra lembrou que o atual Governo “procedeu à revisão da carreira dos técnicos superiores de diagnóstico e terapêutica”, mas reconheceu que falta tratar dos temas da transição de alguns profissionais para a nova carreira, bem como da tabela remuneratória.

    Se tiver uma história que queira partilhar ou informações que considere importantes sobre abusos sexuais na Igreja em Portugal, pode contactar o Observador de várias formas — com a certeza de que garantiremos o seu anonimato, se assim o pretender:

  1. Pode preencher este formulário;
  2. Pode enviar-nos um email para abusos@observador.pt ou, pessoalmente, para Sónia Simões (ssimoes@observador.pt) ou para João Francisco Gomes (jfgomes@observador.pt);
  3. Pode contactar-nos através do WhatsApp para o número 913 513 883;
  4. Ou pode ligar-nos pelo mesmo número: 913 513 883.
Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
ADSE

As guerras da saúde fazem sentido? /premium

Rui Ramos
327

Na cínica “ideologia do SNS” não temos qualquer preocupação com a saúde pública, mas um projecto de domínio da sociedade pelo poder político e ainda um cálculo eleitoral partidário. 

Ministério da Saúde

A ministra incendiária /premium

José Manuel Fernandes
3.164

O PS enganou-se no campo de batalha, pois querer tratar como “supletivo” 42% do nosso sistema de saúde não é apenas uma loucura ideológica, é uma facada no coração da classe média. Em ano de eleições.

ADSE

A guerra da ADSE será paga em Outubro

Pedro Braz Teixeira
1.144

O actual conflito entre a ADSE e “meia dúzia” de operadores privados vai-se transformar num conflito entre a ADSE milhares e milhares de beneficiários, com óbvias consequências eleitorais.

CDS-PP

O governo merece uma censura /premium

João Marques de Almeida

Se o Presidente, o PM e os partidos parlamentares fossem responsáveis e se preocupassem com o estado do país, as eleições legislativas seriam no mesmo dia das eleições europeias, no fim de Maio. 

Arrendamento

A coisa /premium

Helena Matos

Programas para proprietários que antes de regressarem à aldeia entregam ao Estado as suas casas para arrendar. Torres com 300 apartamentos. O arrendamento tornou-se na terra da intervenção socialista

Médicos

Senhor Dr., quanto tempo temos de consulta?

Pedro Afonso

Um dos aspetos essenciais na relação médico-doente é a empatia. Para se ser empático é preciso saber escutar. Ora este é um hábito que se tem vindo a perder na nossa sociedade, e nas consultas médicas

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)