Os custos horários da mão-de-obra aumentaram, no terceiro trimestre, 2,5% na zona euro e 2,7% na União Europeia (UE), com Portugal a registar a segunda menor subida (1,5%), segundo o Eurostat.

De acordo com o gabinete estatístico europeu, entre julho e setembro, os custos horários da mão-de-obra avançaram na zona euro face aos 2,3% do trimestre anterior e aos 1,8% homólogos.

Na UE, a subida de 2,7% manteve-se ao mesmo ritmo do trimestre anterior, mas a um ritmo superior face aos 2,3% do terceiro trimestre de 2017.

As maiores subidas dos custos horários da mão-de-obra foram registadas na Roménia (13,9%), na Letónia (13,2%) e na Lituânia (10,7%), enquanto os aumentos mais fracos se observaram na Bélgica (1,2%), em Portugal (1,5%), em Malta e na Finlândia (1,6% cada).

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

A subida de 1,5% dos custos horários da mão-de-obra em Portugal entre julho e setembro compara-se com a de 1,1% do trimestre anterior, tendo o indicador recuado 1,2% no período homólogo.

[frames-chart src=”https://s.frames.news/cards/crescimento-na-ue/?locale=pt-PT&static” width=”300px” id=”274″ slug=”crescimento-na-ue” thumbnail-url=”https://s.frames.news/cards/crescimento-na-ue/thumbnail?version=1544629509565&locale=pt-PT&publisher=observador.pt” mce-placeholder=”1″]