Angola

Angola. Presidente destaca cooperação italiana na área da defesa

Embora o foco na cooperação entre os dois países seja o económico, de igual modo, a área da defesa merece atenção com o fornecimento dos helicópteros pela empresa italiana.

O Presidente angolano destacou os investimentos e a participação significativa da empresa petrolífera italiana ENI

AMPE ROGÉRIO/LUSA

Autor
  • Agência Lusa

O Presidente angolano destacou esta quarta-feira a cooperação com o Governo italiano na área da defesa, com o fornecimento “a tempo” dos helicópteros Agusta e o equipamento dos Centros de Coordenação Marítima, estes ainda por executar.

João Lourenço discursava durante o almoço que ofereceu ao seu homólogo de Itália, Sérgio Mattarella, que realiza uma visita de dois dias a Angola para o reforço da cooperação.

O chefe de Estado angolano referiu que em finais de 2017, durante a visita efetuada a Angola pelo então primeiro-ministro italiano, Paolo Gentiloni, ficou acordado acelerar os mecanismos necessários ao reforço da cooperação em domínios prioritários relativos à diversificação da economia angolana, particularmente nos setores da agricultura, energia e águas, indústria transformadora, turismo, transporte e infraestruturas.

Segundo João Lourenço, embora o enfoque na cooperação entre os dois países seja o económico, a área da defesa merece igualmente atenção com o fornecimento dos helicópteros Agusta pela empresa italiana contratada e o equipamento dos Centros de Coordenação Marítima, como parte do amplo Projeto Kalunga de vigilância marítima e de proteção da costa e águas territoriais angolanas.

“Em face do que acabei de mencionar, considero que a visita de vossa excelência representa uma grande oportunidade para que abordemos, com a franqueza que é habitual entre nós, a melhor forma de impulsionarmos com sentido prático todas as iniciativas que visam tornar a cooperação cada vez mais ampla e diversificada”, disse João Lourenço.

O Presidente angolano destacou os investimentos e a participação significativa da empresa petrolífera italiana ENI, com boas perspetivas para a exploração do gás natural, encorajando outras companhias a investir em diversos domínios, onde ainda não é expressiva a presença de empresários italianos.

João Lourenço pediu ao seu homólogo que use o seu prestígio e influência para “sensibilizar os investidores italianos, no sentido de encararem sem hesitação as inúmeras oportunidades que o mercado angolano oferece e das quais podem colher benefícios”.

“Creio que o Memorando de Entendimento entre o Ministério das Finanças da República de Angola e a Caixa de Depósito e Empréstimos da República italiana, que será hoje assinado, constitui um instrumento que vai promover e apoiar as empresas italianas na realização de negócios e investimentos em Angola e de angolanas em Itália, abrindo assim novas perspetivas para o estabelecimento de parcerias em setores de interesse comum”, frisou.

No plano internacional, o chefe de Estado angolano disse que tem acompanhado com atenção o desenrolar do conflito israelo-palestiniano, cuja solução de dois Estados vizinhos a viver pacificamente é conhecida e recomendada pela esmagadora maioria da comunidade internacional como sendo a mais sábia.

Relativamente à situação na Venezuela, João Lourenço lamentou que se tenha degradado, num momento em que existem ainda outros focos de tensão “por debelar”, nomeadamente a Síria, o Afeganistão, o Iémen e o Sahel africano ou o corno de África.

Segundo o Presidente angolano, o bom senso deve prevalecer, deixando que os atores políticos e o povo venezuelano encontrem “os melhores caminhos para a paz, a estabilidade e o regresso à normalidade democrática, únicas garantias para o desenvolvimento económico e social do país”.

Todos queremos saber mais. E escolher bem.

A vida é feita de escolhas. E as escolhas devem ser informadas.

Há uns meses o Observador fez uma escolha: uma parte dos artigos que publicamos deixariam de ser de acesso totalmente livre. Esses artigos Premium, por regra aqueles onde fazemos um maior investimento editorial e que mais diferenciam o nosso projecto, constituem a base do nosso programa de assinaturas.

Este programa Premium não tolheu o nosso crescimento – arrancámos mesmo 2019 com os melhores resultados de sempre.

Este programa tornou-nos mesmo mais exigentes com o jornalismo que fazemos – um jornalismo que informa e explica, um jornalismo que investiga e incomoda, um jornalismo independente e sem medo. E diferente.

Este programa está a permitir que tenhamos uma nova fonte de receitas e não dependamos apenas da publicidade – porque não há futuro para a imprensa livre se isso não acontecer.

O Observador existe para servir os seus leitores e permitir que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia. Por isso o Observador também é dos seus leitores e necessita deles, tem de contar com eles. Como subscritores do programa de assinaturas Observador Premium.

Se gosta do Observador, esteja com o Observador. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)