Ministério Dos Negócios Estrangeiros

MNE em debate com jovens sobre projeto europeu

"Precisamos que se levantem e votem livremente", disse Augusto Santos Silva durante o debate, constituído por perto de uma centena de estudantes de universidades de diferentes pontos do país.

"A manipulação de informação obedece a quatro 'd': Distrair, distorcer, desanimar, defraudar, e, se não se age muito rapidamente, em menos de 24 horas, já não se consegue", explica Sofia Alves, chefe da representação da Comissão Europeia em Portugal

MANUEL DE ALMEIDA/LUSA

O ministro dos Negócios Estrangeiros, Augusto Santos Silva, encerrou esta terça-feira um debate com jovens sobre Europa na Assembleia da República com um apelo à participação de todos na construção do projeto europeu.

Descrevendo a União Europeia como “um objeto estranho”, por não haver outro igual, fundado em nome da paz e que evoluiu para construção de um modo de vida, um modelo social e uma entidade política, Santos Silva frisou a importância de ela ser enriquecida com a participação “de todos os europeus”, “homens e mulheres, de todas as gerações, condições, orientações e filiações”.

Essa participação, prosseguiu, deve ser feita em três planos: a procura e “interpretação crítica” da informação, a “participação no debate público” e “a participação no poder de decisão”, escolhendo os representantes e a orientação política que devem adotar.

“Não importa o que queiram, o que pensem, o que digam. Precisamos que se levantem e votem livremente”, lançou à assistência, constituída por perto de uma centena de estudantes de universidades de diferentes pontos do país.

O ministro falou no encerramento do debate “Comunicar a Europa em ano de Eleições”, no qual foi publicamente apresentado o relatório sobre os Encontros com os Cidadãos em Portugal.

Informação, educação, ‘fake news’ e manipulação foram palavras-chave do debate, em que participaram a secretária de Estado dos Assuntos Europeus, Ana Paula Zacarias, a chefe da representação da Comissão Europeia em Portugal, Sofia Alves, especialistas e deputados da comissão parlamentar dos Assuntos Europeus.

Sofia Alves destacou medidas já tomadas pelas instituições europeias, como os acordos com empresas que gerem redes sociais e plataformas para combater as ‘fake news’ e a criação de um sistema de alerta rápido envolvendo os Estados-membros para sinalização atempada da desinformação.

“A manipulação de informação obedece a quatro ‘d’: Distrair, distorcer, desanimar, defraudar, e, se não se age muito rapidamente, em menos de 24 horas, já não se consegue”, explicou.

    Se tiver uma história que queira partilhar ou informações que considere importantes sobre abusos sexuais na Igreja em Portugal, pode contactar o Observador de várias formas — com a certeza de que garantiremos o seu anonimato, se assim o pretender:

  1. Pode preencher este formulário;
  2. Pode enviar-nos um email para abusos@observador.pt ou, pessoalmente, para Sónia Simões (ssimoes@observador.pt) ou para João Francisco Gomes (jfgomes@observador.pt);
  3. Pode contactar-nos através do WhatsApp para o número 913 513 883;
  4. Ou pode ligar-nos pelo mesmo número: 913 513 883.
Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Política

Populismo, Portugal e o Mar

Gonçalo Magalhães Collaço

A capacidade que a Esquerda tem, e sempre teve, para se impor, dominar e exercer o condicionamento mental que exerce, é admirável.

Política

As direitas a que Portugal tem direito /premium

Alberto Gonçalves
868

Visto que em Portugal a direita se define por ser tudo aquilo de que a esquerda não gosta, eu defino-me por não gostar de tudo aquilo o que a esquerda é. Quanto à direita, tem dias. E tem direitas.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)