Ford

Professores do MIT processam Ford por roubo

O MIT é um dos estabelecimentos de ensino mais respeitados. Daí que seja notícia sempre que o MIT acusa alguém, sobretudo uma marca como a Ford, de roubo de patentes.

Ford e Massachusetts Institute of Technology (MIT) são duas entidades respeitadas, cada uma no seu sector de actividade, pelo que ambas têm muito pouco a ganhar e muito a perder quando decidem recorrer aos tribunais para litigar uma acção como roubo de propriedade intelectual. A origem da contenda prende-se com uma questão técnica, essencialmente algo que o MIT entende ser uma inovação. Três professores da instituição terão patenteado uma forma de juntar, num mesmo motor, um sistema de injecção de combustível directo (dentro da câmara de combustão) e outro indirecto (na conduta de admissão). A razão desta solução visa permitir que, em condições de pouca carga, isto é, com pouca pressão no acelerador, o motor optimize a combustão e reduza consumos e emissões, para depois mudar para a segunda forma de injectar a gasolina dentro da câmara de combustão, permitindo extrair mais potência.

Sucede que esta solução de duplo sistema de injecção não é novidade no mercado – a VW vende há muito motores com esta tecnologia. Mas o problema surgiu quando os três engenheiros do MIT descobriram grandes semelhanças entre o seu sistema patenteado e o lançado recentemente pela Ford. Segundos eles, o seu sistema permite uma melhor mistura ar/gasolina, a ponto de o próprio MIT lhes ter permitido manter a propriedade da patente.

Os homens do MIT contactaram a Ford em 2014, tentando convencer os seus responsáveis a interessar-se pelo duplo sistema de injecção, mas a marca rejeitou essa possibilidade. Porém, três anos depois lançou uma série de motores com esta tecnologia, a tal que o MIT acha demasiado similar à que desenvolveram e patentearam.

Segundo a Bloomberg, terá mesmo existido um encontro entre os três professores e o responsável pela propriedade intelectual da Ford, que lhes terá pedido para não accionar a marca por abuso de patentes, pois em troca a Ford aceitaria trabalhar com os três professores noutros projectos. O tribunal vai agora decidir quem é o inventor e o vilão.

Participe nos Prémios Auto Observador e habilite-se a ganhar um carro

Vote na segunda edição do concurso dedicado ao automóvel cuja votação é exclusivamente online. Aqui quem decide são os leitores e não um júri de “especialistas” e convidados.

Participe nos Prémios Auto ObservadorVote agora

    Se tiver uma história que queira partilhar ou informações que considere importantes sobre abusos sexuais na Igreja em Portugal, pode contactar o Observador de várias formas — com a certeza de que garantiremos o seu anonimato, se assim o pretender:

  1. Pode preencher este formulário;
  2. Pode enviar-nos um email para abusos@observador.pt ou, pessoalmente, para Sónia Simões (ssimoes@observador.pt) ou para João Francisco Gomes (jfgomes@observador.pt);
  3. Pode contactar-nos através do WhatsApp para o número 913 513 883;
  4. Ou pode ligar-nos pelo mesmo número: 913 513 883.
Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Governo

A famiglia não se escolhe? /premium

Alberto Gonçalves
248

Se ainda não se restringiu o executivo aos parentes consanguíneos ou afins do dr. Costa, eventualidade que defenderia com empenho, a verdade é que se realizaram amplos progressos na área do nepotismo

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)