As obras de reabilitação de um quilómetro de cais de acostagem do Porto de Maputo, o principal de Moçambique, estão uma fase “muito avançada”, disse esta quarta-feira à Lusa uma fonte ligada ao processo.

A obra está em fase muito avançada e prevemos entregar metade da obra em junho deste ano”, afirmou Paulo Mata, gestor de Projetos da Sociedade de Desenvolvimento do Porto de Maputo (MPDC, na sigla em inglês).

Paulo Mata falava à Lusa à margem do 11.º do Congresso da Associação dos Portos de Língua Portuguesa (APLOP).

Uma vez concluídas as obras, o cais vai poder receber navios de maiores dimensões, tal como previsto no plano diretor do porto.

A reabilitação surge na sequência da dragagem que permitiu aprofundar o canal de acesso ao porto de Maputo, concluída em janeiro de 2017, e que representou um investimento de 70 milhões de euros.

Aqueles trabalhos permitiram um aumento de 40% da capacidade de carga em Maputo e de 55% da capacidade de carga na Matola, desbloqueando um potencial que a MPDC com as obras em curso.

O porto prevê aumentar este ano a capacidade de processamento de carga para 26,5 milhões de toneladas, após a conclusão de obras de reabilitação de parte dos cais.

A Mota-Engil é a empresa que está a realizar obras no valor de 51,7 milhões de euros.

O porto de Maputo processou 19,5 milhões de toneladas de carga em 2018, um acréscimo de 7% em relação ao ano anterior e um volume recorde.

A reabilitação do cais 9 termina em junho e a obra dos cais 6, 7 e 8 tem a sua previsão de conclusão em dezembro de 2019.