Steve Wozniak mostra alguma impaciência com a demora da entrada da Apple no mercado dos telemóveis dobráveis. O co-fundador da empresa diz mesmo estar “preocupado” com este atraso da empresa norte-americana, em entrevista à Bloomberg,

Wozniak destaca o domínio da Apple no que toca à implementação de determinadas inovações nos seus aparelhos: “A Apple tem sido líder há algum tempo em áreas como o sistema de leitura de impressões digitais, o reconhecimento facial e o método de pagamento via telefone”, diz à Bloomberg. Porém reconhece o atraso da gigante tecnológica no que toca aos telemóveis dobráveis. “Eles não são líderes em áreas como os telemóveis dobráveis e isso preocupa-me porque eu quero muito um telemóvel dobrável”, desabafa.

Os telemóveis dobráveis foram recentemente introduzidos por marcas como a Samsung ou a Huawei. No Mobile World Congress, em Barcelona, que termina esta quinta-feira, já foi possível vislumbrar mais algumas novidades sobre esta inovação, com a Huawei a divulgar o seu modelo dobrável.

Huawei. Experimentámos o smartphone com ecrã dobrável que custa 2300 euros

Estes avanços dos rivais asiáticos fez com que as receitas da Apple caíssem e, consequentemente, as suas ações também. No início de 2019 a empresa registou a pior sessão em bolsa em seis anos e a sua cotação de mercado desceu 10%.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Ainda assim, Wozniak continua otimista quanto ao futuro da empresa que fundou com Steve Jobs, mas admite que o sucesso do iPhone fez com que os responsáveis desviassem o foco, entretanto recuperado, no seu entender. “Tiveram tanto sucesso com o iPhone e isso correspondeu à totalidade do seu negócio por muito tempo”, disse à Bloomberg. “Agora estão a expandir e por isso muitos dos seus negócios têm estado bem”, conclui.

Aviso aos investidores provoca maior queda das ações da Apple em seis anos