O português Ivo Oliveira, vice-campeão do mundo, ficou esta sexta-feira fora da luta das medalhas da prova de perseguição individual dos Mundiais de ciclismo de pista, em Pruszków, Polónia, fazendo o sexto melhor tempo na qualificação.

Depois de ter conquistado a prata na edição anterior dos Mundiais e nos últimos Europeus, o ciclista luso ficou aquém do esperado e registou um tempo de 4.14,127 minutos, melhor do que o registo na final europeia de 2018, mas fora das medalhas.

Na especialidade de perseguição individual, que saiu do quadro dos Jogos Olímpicos em 2012, dois ciclistas partem ao mesmo tempo, em pontos opostos da pista, e tentam apanhar o outro ou estabelecer o melhor tempo ao longo de quatro quilómetros.

A disputa pela medalha de ouro vai opor o italiano Filippo Ganna, que defende o título depois de registar o segundo melhor tempo de sempre, com 4.07,456, a 194 milésimas do recorde do mundo, e o alemão Domenic Weinstein, campeão europeu, que fez a terceira melhor marca mundial, com 4.09,091.

Ainda esta sexta-feira, a portuguesa Maria Martins compete na modalidade de omnium, especialidade em que João Matias representa Portugal no quadro masculino, no sábado, antes de os irmãos Ivo e Rui Oliveira correrem o madison, no domingo.