O homem de 24 anos que esfaqueou na madrugada desta quinta-feira um outro homem de 36 anos, em Avintes, Vila Nova de Gaia, está “fortemente indiciado” pelos crimes de homicídio na forma tentada, violência doméstica e perseguição, segundo a diretoria do norte da Polícia Judiciária do Porto.

A vítima dos ferimentos está em observação no Centro Hospitalar de Vila Nova de Gaia/Espinho, e em permanente monitorização. Segundo fonte hospitalar contactada pelo Observador, o homem de 36 anos, encontra-se numa situação clínica “estável”, e ao que tudo indica, mantendo-se a recuperação, poderá ter alta já durante o dia de amanhã, até porque os ferimentos são pouco profundos, não tendo sido necessária qualquer tipo de intervenção cirúrgica, apenas a sutura dos cortes, feitos alegadamente, com um pequeno canivete.

Este caso, em Avintes, aconteceu num contexto de perseguição do suspeito à ex-namorada. O detido de 24 anos, metalúrgico de profissão, não se conformou com o término da relação de três anos, e desde que a mulher colocou um ponto final no namoro, há duas semanas, perseguia e ameaçava a ex-companheira.

Uma relação marcada pela violência doméstica que, segundo a PJ do Porto, começou no namoro “com recurso a maus tratos psíquicos, ameaças e insinuações relativamente à conduta da namorada”. A vítima de violência doméstica foi alvo de várias ameaças, “inclusive de morte”, por parte do suspeito, e face ao clima de “perseguição reiterada”, recorreu ao apoio de “familiares e amigos, como medida de proteção, para poder circular ou estar” na rua e em locais públicos.

“Apercebemo-nos há algum tempo que a rapariga era vítima de violência psicológica e de agressões por parte do ex-namorado. Nós ajudámo-la, e fomos com ela à GNR. O meu marido vinha com ela para casa, para garantir que ela estava segura, quando foi atacado. Levou facadas na testa, no peito e outras zonas do corpo”, explicou a mulher do homem agredido ao Correio da Manhã.

Na madrugada desta quinta-feira, segundo informações recolhidas pelo Observador em Avintes, Vila Nova de Gaia, um casal amigo da mulher, mais uma vez, para proteger a vítima de violência doméstica, deu-lhe abrigo em casa. O casal mora em frente ao centro social Mário Mendes da Costa, onde a mulher do homem esfaqueado e a mulher perseguida trabalham. Em frente ao equipamento, são visíveis as manchas de sangue dos ferimentos com arma branca.

Sangue na rua 5 de Outubro, em Avintes, na sequência de um esfaqueamento a um homem que protegia a amiga do ex-namorado, indiciado por vários crimes incluindo homicídio na forma tentada e violência doméstica.

O esfaqueamento terá acontecido quando, depois de uma nova perseguição, o homem de 36 anos acompanhava a colega de trabalho da mulher ao carro, de onde seguiria para sua casa, depois de ter sido acolhida pelo casal amigo, para fugir ao suspeito. A mulher estaria a ser perseguida pelo agressor, que se terá escondido na rua “atrás dos contentores do lixo”, conforme o relato de uma vizinha, e que surpreendeu o homem de 36 anos. De acordo com a Polícia Judiciária, o suspeito desferiu “oito facadas no tórax e zona circundante do amigo da ex-namorada, provocando-lhe perigo sério para a vida”. O homem está em recuperação e estável.

O detido, com 24 anos de idade, metalúrgico de profissão, residente em Vila Nova de Gaia, continua a ser ouvido em interrogatório judicial para aplicação das medidas de coação.