Rádio Observador

Videojogos

Google lança “Netflix dos jogos”. Stadia quer ser a revolução dos jogos sem consola

562

Vai nascer ainda em 2019 o serviço de videojogos na "nuvem", dispensando as consolas que dão milhões à Sony e à Microsoft. Com uma boa ligação à net, pode-se usar qualquer dispositivo para jogar.

Getty Images

O futuro dos videojogos não está numa caixa“. A frase lançou a apresentação do Stadia, o serviço de videojogos através da ligação à internet, isto é, usando qualquer plataforma (computador, TV, tablet ou smartphone) para jogar, eliminando, assim, a necessidade das consolas físicas na casa de cada jogador (como a Playstation, da Sony, ou a Xbox, da Microsoft). Se a Google tiver sucesso, esta será uma revolução para a multimilionária indústria dos videojogos, numa altura em que a Sony e a Xbox estarão a poucos anos de lançar a próxima geração de consolas.

Ainda não se sabe em detalhe como o Stadia vai funcionar, nem quanto pode custar, mas a Google garantiu que os utilizadores terão acesso a um poder computacional que é, basicamente, o dobro do que existe numa Playstation 4 Pro ou uma Xbox. Esse poder computacional — processamento e grafismo — não estão, porém, numa consola, vão estar numa plataforma na cloud a que se acede através de uma boa ligação à internet e sem ser necessário um computador “artilhado” com componentes de última geração.

O serviço deverá estar disponível ainda este ano mas, numa primeira fase, em “países selecionados”, incluindo a “maioria da Europa”. Jogar jogos com pouco mais do que uma ligação à internet não é, propriamente, uma novidade, mas o que pode ser revolucionário é a qualidade dos jogos que será possível jogar desta maneira. Um dos jogos que serviram de exemplo na apresentação foi Assassin’s Creed Odyssey, demonstrando que o sistema da Google quer ir muito além dos jogos simples para jogadores “casuais”.

O vídeo da apresentação, na Game Developers Conference em São Francisco, está disponível abaixo, com início a partir dos 16m30, sensivelmente.

A ideia é que qualquer dipositivo capaz de correr o browser Chrome poderá aceder a este serviço — seja uma computador comum, um tablet ou smartphone ou, ainda, algumas televisões inteligentes ou ligadas a um Chromecast. O único suporte físico que a Google apresentou foi o comando sem fios que poderá ser usado para jogar — mas a empresa garante que este comando não é essencial, já que muitas outras marcas deste tipo de periférico serão suportadas.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: ecaetano@observador.pt
António Costa

O favor que Costa fez à direita /premium

Sebastião Bugalho

Nestes quatro anos, Costa normalizou tudo aquilo que a direita se esforçou por conquistar, o que levanta uma questão simples: o que poderá dizer o PS contra um futuro governo do centro-direita?

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)