Rádio Observador

SEAT

20.000€. Como a Seat vai propor eléctricos baratos

A Seat vai estar na linha da frente da mobilidade eléctrica do Grupo VW propondo o el-Born e o Mii a bateria e participando no desenvolvimento de uma base para um eléctrico tipo Ibiza, mais barato.

O Grupo Volkswagen está apostado em que os carros eléctricos a bateria sejam um sucesso. Desdobra-se em investimentos em novas plataformas, motores, baterias e até nos elementos necessários à sua produção, como o lítio e o cobalto, fundamentais para construir as células que formam os packs de baterias. E todas as marcas estão alinhadas com este objectivo. Mas não deixa de ser uma surpresa o facto de a Seat, uma das (ainda) mais pequenas marcas do grupo, ter um papel preponderante em todo este processo, com o fabricante a preparar-se para lançar seis novos modelos com baterias recarregáveis até ao início de 2021, sendo dois eléctricos e quatro híbridos plug-in.

A base de toda a estratégia do grupo alemão passa pela plataforma MEB, que vai gerar uma família de modelos para as principais marcas do conglomerado, da Volkswagen à Audi, passando pela Seat e pela Skoda, num total de seis veículos distintos. Isto apenas no primeiro ano de produção. Não deixa pois de ser curioso que, entre tantos emblemas, tenha sido precisamente o espanhol a ser o escolhido para mostrar as formas definitivas do primeiro veículo fabricado com base na MEB. O el-Born, “irmão” tão gémeo quanto possível do Volkswagen I.D. foi o primeiro a mostrar como vai ser o primeiro eléctrico da nova vaga do Grupo VW, agendado para 2020. E por um valor que terá de ser inferior ao anunciado pela VW para o I.D., que alinhará pelo Golf TDI na Alemanha, ou seja, 23.000€.

Finalmente o Mii eléctrico, virado para a cidade

Se o el-Born foi anunciado no início de Março, hoje a Seat revelou que estão reunidas as condições para iniciar a produção do Mii eléctrico, o equivalente na marca espanhola ao Volkswagen e-up!. O Mii alimentado por bateria irá estar disponível até ao início de 2021, ou seja, poucos meses depois do el-Born, consolidando a oferta com zero emissões da marca, necessária para que seja atingido o limite máximo de 95 gramas de dióxido de carbono por quilómetro, imposto por Bruxelas, como média do Grupo VW.

Se o VW e-up! é proposto em Portugal por cerca de 24 mil euros, na versão mais acessível, o Mii eléctrico deverá posicionar-se ligeiramente acima dos 20.000€, tanto mais que certamente irá beneficiar dos ganhos que entretanto o grupo conseguiu em matéria de redução dos custos das baterias, a peça mais cara de um veículo eléctrico. No entanto, de acordo com o que conseguimos apurar, o diferencial de preço para o el-Born não será grande, a ponto de justificar a diferença considerável em termos de dimensão, espaço interior, mala e sobretudo tecnologia, uma vez que se tratará de um dos veículos eléctricos mais modernos do mercado quando surgir, no próximo ano. Ainda assim, entre plataformas de carsharing e outros tipo de aluguer para sistemas de mobilidade urbana, o Mii eléctrico não deixará de fazer o seu percurso.

A estes dois modelos, há que somar o Minimo Concept, um pequeno e estreito veículo de dois lugares similar ao Twizy, bem como a trotineta eléctrica eXS, com ambos a serem igualmente contemplados na estratégia de mobilidade eléctrica do grupo alemão.

Um eléctrico tipo Ibiza por menos de 20.000€

Este é, provavelmente, o maior projecto em que a Seat está envolvida. O objectivo é criar uma nova plataforma a partir da MEB, cuja versão mais curta arranca nos 4,2 metros, ou seja, o comprimento de um Leon de cinco portas, ou um VW Golf, precisamente a que o el-Born e o I.D. vão recorrer. Os cerca de 300 técnicos do centro de I&D de Martorell, juntamente com os colegas alemães em Wolfsburg, vão conceber aquela que deverá ser a MEB 0, com cerca de 4 metros de comprimento, mas recorrendo a muitos elementos comuns com a MEB, tantos quanto possível para conter os custos.

Além de ser barata de desenvolver, por recorrer à tecnologia já utilizada na MEB, a eventual MEB 0 terá outro elemento a puxar para baixo o seu preço, dado que servirá de base a todas as marcas do Grupo Volkswagen, especialmente aquelas que têm interesse em propor um modelo com as características de um utilitário com as dimensões exteriores de um Ibiza. Mais pequeno e leve, o futuro eléctrico irá assim necessitar de uma menor quantidade de baterias para assegurar ainda assim uma autonomia interessante, o que lhe vai garantir um preço abaixo dos 20.000€.

À semelhança do que vai acontecer com a MEB, também a MEB 0 irá ser utilizada para fabricar veículos eléctricos na Europa, China e EUA, o que ajuda a conseguir reduzir os custos para a mencionada fasquia.

Híbridos e híbridos plug-in também estão previstos

Se a Seat aposta decididamente nos 100% eléctricos, a fábrica de Martorell não vai virar as costas aos híbridos plug-in (PHEV). Aproveitando o facto deste tipo de solução tecnológica ser (de momento) beneficiada pelo legislador europeu, que lhes permite anunciar consumos médios de 3 litros mesmo quando oferecem potências superiores a 600 cv, a Seat acredita que os PHEV são a solução ideal para alguns dos seus veículos, bem como da sua outra marca, a Cupra.

Visando incrementar a potência total do modelo, somando a potência do motor de combustão à força de uma unidade eléctrica, pelo menos enquanto tiver energia na bateria, os PHEV conseguem ser mais rápidos no arranque e em reprise, para depois serem mais económicos, especialmente se os condutores lhe recarregarem a pequena bateria sempre que possível, de forma a poder percorrer cerca de 50 km electricamente.

Do lado da Seat, o próximo Leon, que está em vias de ser apresentado, vai ter direito a uma versão PHEV com vocação desportiva, um pouco à semelhança do que vai acontecer com o SUV Tarraco. A Cupra, por outro lado, vai lançar o novo Leon muito em breve, já com opção PHEV, procedendo de igual forma com o novo SUV coupé Formentor, com uma potência que deve rondar os 245 cv e um apetite de “passarinho”, podendo mesmo circular em modo 100% eléctrico durante 50 km, meta que é agora mais fácil de atingir em condições reais nos novos modelos, já homologados segundo o método WLTP. À vantagem no consumo e emissões, há que somar as ajudas financeiras, asseguradas de forma diferente pelos distintos países europeus.

Comparador de carros novos

Compare até quatro, de entre todos os carros disponíveis no mercado, lado a lado.

Comparador de carros novosExperimentar agora

Não queremos ser todos iguais, pois não?

Maio de 2014, nasceu o Observador. Junho de 2019, nasceu a Rádio Observador.

Há cinco anos poucos acreditavam que era possível criar um novo jornal de qualidade em Portugal, ainda por cima só online. Foi possível. Agora chegou a vez da rádio, de novo construída em moldes que rompem com as rotinas e os hábitos estabelecidos.

Nestes anos o caminho do Observador foi feito sem compromissos. Nunca sacrificámos a procura do máximo rigor no nosso jornalismo, tal como nunca abdicámos de uma feroz independência, sem concessões. Ao mesmo tempo não fomos na onda – o Observador quis ser diferente dos outros órgãos de informação, porque não queremos ser todos iguais, nem pensar todos da mesma maneira, pois não?

Fizemos este caminho passo a passo, contando com os nossos leitores, que todos os meses são mais. E, desde há pouco mais de um ano, com os leitores que são também nossos assinantes. Cada novo passo que damos depende deles, pelo que não temos outra forma de o dizer – se é leitor do Observador, se gosta do Observador, se sente falta do Observador, se acha que o Observador é necessário para que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia, então dê o pequeno passo de fazer uma assinatura.

Não custa nada – ou custa muito pouco. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: alavrador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)