Atletismo

Dulce Félix segunda no Troféu Ibérico de 10.000 metros

2.705

Atleta portuguesa ficou em segundo lugar numa corrida renhida, ficando a apenas 95 centésimos da vencedora, a espanhola Trihas Gebre. O terceiro lugar ficou para outra portuguesa, Carla Salomé Rocha.

Dulce Félix ficou em segundo lugar com um tempo de 31.55,95

INÁCIO ROSA/LUSA

Autor
  • Agência Lusa
Mais sobre

Dulce Félix foi este sábado segunda classificada no Troféu Ibérico de 10.000 metros, em Valência, Espanha, suplantada no sprint final pela espanhola Trihas Gebre, que liderou a Espanha a mais um triunfo.

Uma excelente corrida de 10.000 metros, apenas decidida nos metros finais, com a espanhola a registar o tempo de 31.55,01 minutos, 94 centésimos menos do que a campeã nacional de corta-mato (31.55,95). Com este resultado, a benfiquista sagrou-se campeã de Portugal de 10.000 metros, mas ficou a pouco mais de cinco segundos dos mínimos para os Campeonatos Mundiais de Doha.

Carla Salomé Rocha (32.28,02) terminou em terceiro lugar, embora a cerca de meio minuto das duas primeiras. Depois delas, Susana Godinho foi a terceira portuguesa (9.ª, com 33.23,31) e a quarta, a contar para a classificação coletiva, foi Ana Mafalda Ferreira (11.ª, com 33.29,47).

As quatro portuguesas conseguiram mínimos para a Taça da Europa de 10.000, assim como Susana Francisco, do Sporting (12.ª com 33.42,38), e Susana Cunha, do Recreio Águeda (13.ª com 33.53,38).

As espanholas quebraram a tradição e venceram coletivamente, com um somatório de tempos das quatro primeiras de 2:10.44,70 horas, enquanto as portuguesas terminaram com 2:11.16,75.

Pior estiveram os atletas masculinos, muito longe dos primeiros. Ainda assim, o triunfo da corrida pertenceu a um atleta do Sporting, o queniano Davis Kiplangat, que cortou a meta em 27.56,43 minutos (a cinco segundos do recorde pessoal), derrotando o seu compatriota Isaac Kiprono (28.13,02) e o espanhol Antonio Abadia (28.13,19).

O primeiro português foi António Pedro Rocha (S. Salvador do Campo), com recorde pessoal (29.33,04), marca de qualificação para a Taça da Europa da distância, que se realizará em Londres, chegando antes de Daniel Gregório (CA Seia), também ele com recorde pessoal (29.34,69) e qualificação para a Taça da Europa.

Coletivamente, a Espanha triunfou pelo sétimo ano consecutivo (1:53:41,63 horas), com Portugal a mais de cinco minutos dos espanhóis (1:58:47,80).

Bons desempenhos tiveram ainda Bruno Batista, de Rio Maior, vencedor da série B (29.56,17), e Manuela Martins (Maratona) a ficar em segundo lugar na série B (36.17,47, campeã nacional sub-23), a pouco mais de um segundo da marca de qualificação para os Europeus da categoria.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)