“Este país não pode estar governado por esse bando de malucos que governa o país”, dissera o ex-presidente brasileiro Lula da Silva, preso na sequência do caso Lava Jato, em entrevista ao El País e à Folha de São Paulo. “Bem, pelo menos não é um bando de cachaceiros [bêbados]“, respondeu o atual presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, em declarações ao Estadão.

Lula Silva afirmara ainda que Jair Bolsonaro teria de construir “um partido sólido” se quisesse manter-se na liderança do país, e que o Ministro da Justiça de Bolsonaro, Sérgio Moro, “não vai sobreviver na política”. Bolsonaro retorquiu atacando a presidência de Lula da Silva: “Quem era o time [equipa] dele [Lula da Silva]? Grande parte está preso ou está sendo processado. Tinha um plano de poder onde nos roubaria a nossa liberdade“.

Mais, o presidente brasileiro garantiu que Lula da Silva nunca deveria ter sido autorizado a falar com a comunicação social enquanto cumpria uma pena de prisão: “Eu acho um equívoco, um erro da Justiça ter dado direito a dar uma entrevista. Presidiário tem que cumprir sua pena“. Lula da Silva foi condenado a oito anos e dez meses de prisão por crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro. “O Lula, primeiro, não deveria falar. Falou besteira“, acrescentou Jair Bolsonaro.

A entrevista de Lula da Silva, dada desde a superintendência da Polícia Federal em Curitiba, foi pedida pela comunicação social há cerca de um ano, sendo sucessivamente marcada, suspensa e cancelada. Só uma decisão judicial permitiu que a entrevista se realizasse nesta sexta-feira, 26 de abril.