O Presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, anunciou na quinta-feira que ordenou reforçar os investimentos em projetos que usam a tecnologia da Huawei, empresa chinesa que foi recentemente sancionada pelos Estados Unidos.

“Ordenei que se faça um investimento imediato, em conjunto com os nossos irmãos chineses, na tecnologia da Huawei, da ZTE e em todas as empresas chinesas e russas, para elevarmos a capacidade das telecomunicações” no país sul-americano, declarou.

Nicolás Maduro falava no Círculo Militar de Caracas, durante a inauguração da primeira Feira de Inovação, Desenvolvimento, Ciência e Tecnologia das Forças Armadas Bolivarianas.

Para o chefe de Estado venezuelano, este investimento conjunto tem como objetivo “tornar real o sistema 4G (de quarta geração) a nível nacional”.

Por outro lado, assinou um decreto que prevê a criação da “Corporação Nacional de Telecomunicações e Serviços Postais da Venezuela”, empresa estatal que “agrupará todas as empresas socialistas e privadas em matéria de telecomunicações”.

“Assino este decreto através do qual se cria uma corporação unida, uma nova corporação elevada e poderosa”, disse.

De acordo com Nicolás Maduro, esta corporação vai impulsionar o desenvolvimento das telecomunicações na Venezuela, afetadas pela “guerra económica” no país.

Esta nova corporação será presidida pelo coronel da Guarda Nacional Bolivariana (polícia militar), Jorge Márques Monsalve, que é também presidente da Comissão Nacional de Telecomunicações da Venezuela (CONATEL, organismo que regula as telecomunicações) e ministro do Despacho da Presidência, Acompanhamento e Controlo da Gestão de Governo.