Eleições Europeias

Europeias. Quem são os 21 portugueses que se vão sentar no Parlamento Europeu?

1.336

Nove dos 21 lugares reservados aos portugueses no Parlamento Europeu serão ocupados pelo PS. O PAN conseguiu eleger um deputado. Saiba quem vai para Bruxelas após as eleições europeias.

O PS foi o partido que mais deputados elegeu, mas o PAN é a surpresa da noite

AFP/Getty Images

O Partido Socialista, encabeçado por Pedro Marques, é o que mais deputados vai levar a Bruxelas após as eleições com maior taxa de abstenção desde 1987, quando Portugal aderiu à então Comunidade Económica Europeia (CEE). A oposição social-democrata teve o pior resultado da história, mas a grande surpresa vai para o Pessoas Animais Natureza (PAN), que vai ocupar uma das 21 cadeiras reservadas aos portugueses no Parlamento Europeu.

Saiba quem é quem na comitiva que vai representar Portugal na União Europeia, já com a distribuição oficial (atualizada com dados divulgados esta segunda-feira, pouco antes das 14h, pelo Ministério da Administração Interna).

PS (33,38%)

Nove deputados

Pedro Marques. Economista, foi autarca no Montijo e depois secretário de Estado da Segurança Social e ministro do Planeamento e Infraestruturas. Abandonou esse cargo para se candidatar ao Parlamento Europeu e encabeçar a lista do Partido Socialista.

Maria Manuel Leitão Marques. É professora na Universidade Coimbra, mas já foi secretária de Estado e, mais recentemente, Ministra da Presidência e Modernização Administrativa. Uma das obras mais famosas criadas por ela nesse cargo foi o SIMPLEX.

Pedro Silva Pereira. Foi secretário de Estado do Território e da Conservação da Natureza e ministro da Presidência no governo de José Sócrates. Agora é presidente da Fundação Res Publica, cargo que acumula com o papel de deputado no Parlamento Europeu, onde é vice-presidente da Comissão de Assuntos Constitucionais e membro das comissões de Economia e de Comércio Internacional.

Margarida Marques. Foi chefe da delegação da Comissão Europeia em Portugal e secretária de Estado dos Assuntos Europeus. É também deputada na Assembleia da República, vice-presidente da comissão dos Assuntos Europeus e membro da Comissão de Orçamento, Finanças e Modernização Administrativa.

André Bradford. Foi membro do Comité Permanente dos presidentes das Regiões Ultraperiféricas e representante dos Açores no Comité das Regiões da União Europeia. É líder parlamentar do PS na Assembleia Legislativa Regional do PS nos Açores.

Sara Cerdas. Tem o mestrado em Medicina pela Universidade de Lisboa. Também é mestre em Saúde Pública pela Universidade sueca de Umea.

Carlos Zorrinho. É deputado do Parlamento Europeu onde chefia a delegação socialista portuguesa. É também membro das comissões de Indústria, Investigação e Energia e do Ambiente, Saúde e Segurança Alimentar.

Isabel Santos. Foi governadora civil do Porto e é deputada à Assembleia da República. É vice-presidente da Assembleia Parlamentar da Organização para a Segurança e Cooperação Europeia, onde também já desempenhou as funções de presidente da Comissão de Democracia, Direitos Humanos e Questões Humanitárias.

Manuel Pizarro. Foi deputado e secretário de Estado da Saúde, responsável pela reforma dos cuidados de saúde primários, pelo alargamento do cheque dentista, pela criação do banco nacional de células do cordão umbilical e pela construção do Centro Materno-Infantil do Norte. É vereador da Câmara Municipal do Porto e presidente da federação do Porto do PS.

PSD (21,94%)

Seis deputados

Paulo Rangel. É vice-presidente do Partido Popular Europeu (PPE) e do Grupo Parlamentar. Coordenou o grupo de trabalho sobre o Futuro da Europa, preside ao “think-tank” do PPE e é responsável pela candidaturas partidárias do espaço europeu e extra europeu ao PPE. É uma das vozes mais ativas sobre a crise humanitária da Venezuela.

Lídia Pereira. Preside à maior organização política da juventude europeia — a Juventude do Partido Popular Europeu (YEPP). Também chegou a ser diretora de relações internacionais da Comissão Política Nacional. Estagiou no Banco Europeu de Investimentos e trabalhou em várias consultoras.

José Manuel Fernandes. Esteve envolvido nas negociações do Plano Juncker, do fundo de solidariedade para os incêndios de 2017 e na criação do Mecanismo Europeu de Proteção Civil. É conhecido como Mr. Budget por ter um papel ativo na arquitetura do orçamento da União Europeia e dos fundos europeus.

Graça Carvalho. Foi deputada europeia e trabalha agora na Comissão Europeia. A ex-ministra da Ciência e do Ensino Superior é especialista na área da energia, ciência, inovação, indústria e alterações climáticas.

Álvaro Amaro. Foi Presidente da Câmara da Guarda e, antes, de Gouveia. É um especialista na área da agricultura e uma voz ativa na defesa do desenvolvimento regional e sobretudo do interior do país.

Cláudia Monteiro de Aguiar. Como deputada do Parlamento Europeu foi responsável por tornar o turismo como uma área de mais investimento da União Europeia. Com atividade de relevo na área dos transportes, está principalmente envolvida na defesa das pescas e das comunidades portuguesas fora da União Europeia.

Bloco de Esquerda (9,82%)

Dois deputados

Marisa Matias. É da Comissão Política do Bloco de Esquerda e já exerceu dois mandatos no Parlamento Europeu. Mais recentemente, foi coordenadora da Comissão de Assuntos Económicos e Monetários (ECON) e integra também a Comissão da Indústria, da Investigação e da Energia (ITRE). Foi Vice-Presidente das Comissões Especiais sobre as Decisões Fiscais Antecipadas e Outras Medidas de Natureza ou Efeitos Similares.

José Gusmão. Foi deputado à Assembleia da República na XI Legislatura, tendo sido vice-presidente da Comissão de Orçamento e Finanças. Trabalhou como assistente no Parlamento Europeu, com Miguel Portas e Marisa Matias. Integra a Comissão Política do Bloco de Esquerda.

CDU (6,19%)

Dois deputados

João Ferreira. É deputado do PCP no Parlamento Europeu e foi vereador na Câmara Municipal de Lisboa. Chegou também à vice-presidência da Delegação Assembleia Parlamentar Paritária África, Caraíbas e Pacífico da União Europeia e a coordenador para o Grupo Confederal GUE/NGL. É membro do Comité Central do PCP.

Sandra Pereira. É investigadora no Centro de Linguística da Universidade de Lisboa. Dirige a Associação dos Bolseiros de Investigação Científica e é membro da direção do Sector Intelectual da Organização Regional de Lisboa do PCP.

CDS-PP (6,19%)

Um deputado

Nuno Melo. Foi vice-presidente da Assembleia da República, presidente da Assembleia Municipal de Vila Nova de Famalicão, conselheiro nacional do CDS/PP e, por inerência, membro da Comissão Executiva do CDS-PP. É também um repetente na Europa.

PAN (5,08%)

Um deputado

Francisco Guerreiro. É assessor parlamentar do PAN e acompanha a Comissão de Ambiente, Ordenamento do Território, Descentralização, Poder Local e Habitação. Foi candidato à presidência da Câmara Municipal de Coimbra nas Autárquicas 2014 e à Câmara Municipal de Cascais nas Autárquicas de 2017, que obteve 4,56% dos votos e a eleição de duas deputadas municipais.

[Difamações, frustrações e outras lamentações. A noite eleitoral num minuto]

Oiça as melhores histórias destas eleições europeias no podcast do Observador Eurovisões, publicado de segunda a sexta-feira até ao dia do voto.

Todos queremos saber mais. E escolher bem.

A vida é feita de escolhas. E as escolhas devem ser informadas.

Há uns meses o Observador fez uma escolha: uma parte dos artigos que publicamos deixariam de ser de acesso totalmente livre. Esses artigos Premium, por regra aqueles onde fazemos um maior investimento editorial e que mais diferenciam o nosso projecto, constituem a base do nosso programa de assinaturas.

Este programa Premium não tolheu o nosso crescimento – arrancámos mesmo 2019 com os melhores resultados de sempre.

Este programa tornou-nos mesmo mais exigentes com o jornalismo que fazemos – um jornalismo que informa e explica, um jornalismo que investiga e incomoda, um jornalismo independente e sem medo. E diferente.

Este programa está a permitir que tenhamos uma nova fonte de receitas e não dependamos apenas da publicidade – porque não há futuro para a imprensa livre se isso não acontecer.

O Observador existe para servir os seus leitores e permitir que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia. Por isso o Observador também é dos seus leitores e necessita deles, tem de contar com eles. Como subscritores do programa de assinaturas Observador Premium.

Se gosta do Observador, esteja com o Observador. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: mlferreira@observador.pt
Ambiente

A onda verde na UE e os nacionalismos

Inês Pina
134

Se hoje reduzíssemos as emissões de CO2 a zero já não impedíamos a subida de dois graus centígrados. E estes “míseros” dois graus vão conduzir ao fim das calotas polares e à subida do nível do mar.

Eleições Europeias

Os ventos que sopram da Europa

Jose Pedro Anacoreta Correira

É preciso explicar que o combate pela redução de impostos não significa menos preocupação social. É precisamente o inverso: um Estado menos pesado contribui para uma sociedade mais justa. 

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)