Guiné Equatorial

Guiné Equatorial diz que não há discrepâncias com FMI e prevê recessão de 3,1% este ano

O Governo da Guiné Equatorial garantiu que não há discrepâncias nos dados macroeconómicos enviados ao FMI. Valores do FMI dizem respeito ao crescimento nominal e não ao real, negativo desde 2015.

Valores de crescimento real apontam para crescimentos positivos de 3,4% no ano passado, mas o crescimento real regista valores negativos nos últimos anos.

LUSA

O Governo da Guiné Equatorial disse que não há discrepâncias nos dados macroeconómicos enviados ao FMI, uma vez que os valores dizem respeito ao crescimento nominal e não ao crescimento real, que continua em recessão.

Em declarações à Lusa, uma fonte oficial do executivo explicou que os números que aparecem na página do Fundo Monetário Internacional (FMI) referente ao novo sistema de disseminação de dados harmonizados dizem respeito ao crescimento nominal da economia, que tem aumentado, ao passo que o crescimento real está negativo desde 2015, quando registou uma recessão de 9,1%.

“Apesar de a economia da Guiné Equatorial continuar em recessão, observou-se uma melhoria na evolução do crescimento do seu PIB em comparação com os anos anteriores, passando de -9,1% em 2015, para -8,8% em 2016 e uma melhoria para -4,7% em 2017”, explicou esta fonte oficial, que aponta também para uma previsão de recessão de 2,9% no ano passado e de um novo crescimento negativo este ano, de 3,1%.

A informação usada anteriormente pela Lusa consta das tabelas dos números oficiais enviados ao FMI ao abrigo da adesão ao programa avançado de disseminação de dados que o Fundo encoraja os países a usar para promover a transparência nas contas públicas, nas quais constam os dados do crescimento real e o crescimento nominal, embora sem especificar qual das parcelas corresponde a que tipo de crescimento.

Nessa página, constata-se que em termos de crescimento real, os valores apontam para crescimentos positivos de 7,3% em 2017 e de 3,4% no ano passado, ao passo que o crescimento real aponta para valores negativos nos últimos anos.

O PIB nominal é a soma de todos os produtos e serviços comercializados num determinado ano, ao passo que o PIB real representa a produção eliminando o valor da inflação de cada ano e tendo em conta um determinado ano de partida.

O programa avançado de disseminação de dados (Enhanced General Data Dissemination System, no original) é uma plataforma de apresentação dos dados oficiais de cada país, com o objetivo de “servir de ponto único de publicação para os dados macroeconómicos essenciais sobre as contas nacionais, operações governamentais e de dívida, setor monetário e financeiro, e balança de pagamentos”, de acordo com o comunicado distribuído hoje ao final da tarde.

Estes dados, lê-se no comunicado, “são colocados no site do Gabinete de Estatísticas Nacional, utilizando a Troca de Dados e Metadados Estatísticos”, e é acessível através de uma plataforma informática disponibilizada pelo FMI.

“Esta página contém ligações para as estatísticas publicadas pelos produtores oficiais de dados, nomeadamente o Banco Central dos Estados Africanos Centrais, o Instituto de Estatísticas Nacional e o Ministério das Finanças, Economia e Planeamento” da Guiné Equatorial, segundo o comunicado.

“A publicação de dados macroeconómicos essenciais através do site vai dar aos decisores políticos nacionais e acionistas internos e externos, incluindo investidores e agências de notação financeira, acesso fácil a informação que o FMI identificou como crítica para monitorizar as condições económicas e de políticas”, lê-se ainda no comunicado divulgado em Washington.

Todos queremos saber mais. E escolher bem.

A vida é feita de escolhas. E as escolhas devem ser informadas.

Há uns meses o Observador fez uma escolha: uma parte dos artigos que publicamos deixariam de ser de acesso totalmente livre. Esses artigos Premium, por regra aqueles onde fazemos um maior investimento editorial e que mais diferenciam o nosso projecto, constituem a base do nosso programa de assinaturas.

Este programa Premium não tolheu o nosso crescimento – arrancámos mesmo 2019 com os melhores resultados de sempre.

Este programa tornou-nos mesmo mais exigentes com o jornalismo que fazemos – um jornalismo que informa e explica, um jornalismo que investiga e incomoda, um jornalismo independente e sem medo. E diferente.

Este programa está a permitir que tenhamos uma nova fonte de receitas e não dependamos apenas da publicidade – porque não há futuro para a imprensa livre se isso não acontecer.

O Observador existe para servir os seus leitores e permitir que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia. Por isso o Observador também é dos seus leitores e necessita deles, tem de contar com eles. Como subscritores do programa de assinaturas Observador Premium.

Se gosta do Observador, esteja com o Observador. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)