O parlamento francês aprovou formalmente esta quinta-feira o polémico imposto que vai passar a ser aplicado nos lucros de gigantes tecnológicos como Facebook, Amazon e Google. A aprovação da lei é controversa. A começar porque o presidente americano, Donald Trump, considerou que a legislação constitui uma afronta aos Estados Unidos (uma vez que muitas das empresas abrangidas são americanas). 

A aprovação da lei surge um dia depois de a Casa Branca ter ordenado uma investigação formal acerca desta nova lei francesa.

O Washington Post refere que o objetivo da medida francesa é impor uma taxa de 3% às empresas tecnológicas com lucros superiores a 750 milhões de euros, dos quais pelo menos 25 milhões tenham sido gerados em França. Os 3% são aplicados sobre essa fatia, explica a BBC. A medida pode gerar cerca de 400 milhões de euros ainda este ano.

Trump anunciou a investigação na quarta-feira com o objetivo de perceber se o imposto irá prejudicar os negócios norte-americanos. “Donald Trump ordenou que investigássemos os efeitos desta legislação para determinarmos se é ou não discriminatória, pouco razoável, se prejudica ou restringe o comércio dos Estados Unidos”, declarou fonte da administração dos EUA.

A França criou a medida pois defende que as empresas em questão aproveitam falhas no sistema fiscal para proveito próprio. E o Governo parece ter desvalorizado a opinião do presidente norte-americano.