Rádio Observador

Câmara Municipal Lisboa

Câmara de Lisboa usa palavrão de Éder no Instagram e gera críticas

210

A Câmara de Lisboa fez um post no Instagram a celebrar o Euro e escreveu: "Amanhã não é feriado c****". Houve queixas, mas CML diz que se limitou a "citar o enorme Éder" numa publicação de "excepção".

Éder após o golo que deu a Portugal a vitória contra a França no Euro 2016

AFP/Getty Images

“Faz hoje três anos que conquistámos o impensável. Mas atenção aos compromissos, porque ao contrário do que garantiu o nosso Éder, amanhã não é feriado, c*******“, escreveu a Câmara Municipal de Lisboa na sua conta oficial de Instagram esta quarta-feira. Gerou críticas, mas em resposta ao Observador a CML refere que “recordou o momento no tom festivo que ele teve” ao utilizar o palavrão omitido por asteriscos.

A publicação controversa no Instagram com o comentário de um dos utilizadores

A publicação que foi inserida online teve, diz a CML, “mais de 95% das interações positivas”. Contudo, houve vários comentários depreciativos como: “Deixarei de ser seguidor”. Um utilizador chegou até a perguntar se a conta tinha sido pirateada. A este último comentário a gestão das redes sociais respondeu: “É verdade, não fomos hackeados, pirateados, raptados, alvo de OPA, etc. e apenas assinalámos o grande momento do futebol português pelas palavras do mítico Éder, e pelo meio demos um conselho”.

Em resposta a uma utilizadora desta rede social que também indagou se a publicação era da CML, questionando até se a conta é oficial da autarquia liderada por Fernando Medina (não está certificada porque a Câmara “aguarda a autenticação por parte do Instagram”, diz a CML), a resposta também foi informal: “Apenas nos limitámos a citar o enorme Éder, mas amanhã voltamos a postar gatinhos”.

A CML afirma que “há um livro de estilo” para este tipo de partilhas e diz que “analisa ao pormenor o desempenho de todas as publicações (seja em que plataforma for)”. Relativamente aos limites que são impostos para este tipo de partilhas em que, mesmo omitindo o palavrão com asteriscos, o mesmo é referido numa piada, a autarquia diz que “este tipo de publicações são excepções”, e não revela arrependimento.

Mais de 95% das interações com a publicação foram positivas, existindo mesmo várias pessoas que por sua iniciativa responderam aos comentários mais depreciativos. Isto numa conta que chega, todos os meses, a cerca de 4 milhões de utilizadores. O que faz da Página da CML uma das contas institucionais com mais seguidores e alcance em Portugal”, diz a câmara em relação às críticas que recebeu.

Na conta oficial de Facebook da CML, a autarquia também fez uma partilha para marcar os três anos da vitória do Euro pela seleção portuguesa. Contudo, nesta outra rede social, a publicação foi mais contida nas palavras: “Faz hoje três anos que conquistamos o impensável! E sabe tão bem recordar…”.

O momento que a CML quis recordar foi a 11 de julho de 2016, um dia depois de ter conseguido o golo da vitória que deu a Portugal a primeira vitória no campeonato de futebol europeu, Éder subiu a um palco na Alameda Dom Afonso Henriques. Acompanhado pela seleção, o jogador disse para os milhares de adeptos que estavam presentes e para quem seguia em direto nessa tarde pela televisão: “Hoje é feriado, c…”.

Não queremos ser todos iguais, pois não?

Maio de 2014, nasceu o Observador. Junho de 2019, nasceu a Rádio Observador.

Há cinco anos poucos acreditavam que era possível criar um novo jornal de qualidade em Portugal, ainda por cima só online. Foi possível. Agora chegou a vez da rádio, de novo construída em moldes que rompem com as rotinas e os hábitos estabelecidos.

Nestes anos o caminho do Observador foi feito sem compromissos. Nunca sacrificámos a procura do máximo rigor no nosso jornalismo, tal como nunca abdicámos de uma feroz independência, sem concessões. Ao mesmo tempo não fomos na onda – o Observador quis ser diferente dos outros de órgãos de informação, porque não queremos ser todos iguais, nem pensar todos da mesma maneira, pois não?

Fizemos este caminho passo a passo, contando com os nossos leitores, que todos os meses são mais. E, desde há pouco mais de um ano, com os leitores que são também nossos assinantes. Cada novo passo que damos depende deles, pelo que não temos outra forma de o dizer – se é leitor do Observador, se gosta do Observador, se sente falta do Observador, se acha que o Observador é necessário para que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia, então dê o pequeno passo de fazer uma assinatura.

Não custa nada – ou custa muito pouco. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: mmachado@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)