As autoridades iranianas anunciaram esta segunda-feira a detenção de um grupo de 17 cidadãos iranianos acusados de espionagem a favor da agência de inteligência norte-ameriana CIA. Alguns deles terão sido mesmo condenados à morte, de acordo com um comunicado do Ministério iraniano da Inteligência e Informação citado pela CNN.

No comunicado, intitulado “Destino dos Espiões”, o governo iraniano adianta que se trata de “indivíduos que conscientemente e deliberadamente traíram o seu país e recusam compensá-lo pelas perdas”, sublinhando que os espiões foram atraídos por “promessas tentadoras de agentes da CIA, incluindo emigração para os EUA, dinheiro e um emprego nos EUA”.

Mais: os alegados espiões estavam “empregados no setor privado em áreas sensíveis e vitais da economia, do desenvolvimento nuclear, infraestrutural, militar e da cibersegurança, nas quais reuniram informação confidencial”.

De acordo com a CNN, o governo iraniano diz que parte do grupo de 17 vai ser condenado à morte, isto é, os que não cooperaram com as autoridades iranianas. No mês passado, o Irão afirmou que expôs uma grande rede de ciberespionagem que alegadamente era dirigida pela CIA, podendo estas detenções estar relacionadas.

As detenções ocorreram ao longo do último mês e, segundo o governo iraniano, os espiões não terão sido bem sucedidos nas missões de sabotagem.