O novo Q3 Sportback é o irmão desportivo da família Q3, começando desde logo a impor-se pelo aspecto exterior. Recorre obviamente à mesma plataforma, mas é ligeiramente mais comprido (1,6 cm devido ao novo desenho dos pára-choques) e consideravelmente mais baixo (2,9 cm), o que lhe confere o desejável ar mais esguio. Mas o argumento final para cativar os que procuram um SUV com um aspecto menos pesado e mais dinâmico é o pilar traseiro, que surge mais inclinado, cobiçando o tal ar de coupé.

Já que estava com o novo Q3 Sportback na prancheta de design, a Audi aproveitou para lhe alterar a linha de cintura, não que quisesse colocar em causa o ar robusto que a linha elevada dos vidros laterais gera, mas sim porque não queria que o tejadilho mais baixo retirasse superfície vidrada ao modelo. Concebido para fazer frente a SUV “desportivos” como o BMW X2 e Range Rover Evoque, o Audi monta ainda pára-choques com entradas de ar mais agressivas e uma grelha mais ousada, para lhe reforçar o dinamismo.

16 fotos

Lá atrás, o Sportback oferece uma mala com 530 litros mas, mais do que a capacidade, impressionou-nos a versatilidade. Esta é conseguida à custa das regulações do assento posterior, que é regulável em inclinação e longitudinalmente (13 cm), proporcionando mais conforto a quem lá se senta, se estiver mais inclinado e mais recuado, ou favorecendo o espaço para bagagens, se as costas estiverem mais direitas e o assento mais avançado. Daí que o volume útil possa crescer até aos 1.400 litros, já com o rebatimento do banco posterior.

Uma vez ao volante, é óbvio o Digital Cockpit, o painel de instrumentos digital que é de série no Q3 Sportback, com o ecrã colocado ao centro do tablier a proporcionar o acesso à qualidade sonora do sistema Bang & Olufsen 3D Sound, bem como ao assistente pessoal Alexa, da Amazon. Segundo os técnicos da Audi com quem tivemos oportunidade de conversar, o Q3 Sportback vai oferecer de série vários sistemas de ajuda à condução, a começar pelo sistema de navegação através do Google Earth, rádio híbrido para assegurar online streaming, além do Android Auto e Apple CarPlay e o pre sense front. Soluções como o Adaptative Cruise Control e o Autoparking continuarão ser opcionais.

Sentados à frente, tudo nos pareceu perfeito, com muito espaço interior, mesmo em altura, com os comandos a ficarem bem ali à mão de quem está ao volante. O espaço no banco traseiro continua bom, apto a receber passageiros com 1.80 m ou mais, se bem que tenhamos notado a necessidade de ter um cuidado adicional com a cabeça no momento de entrar e sair do habitáculo.

9 fotos

Proposto com duas e quatro rodas motrizes, o Q3 Sportback vai ser comercializado com dois motores a gasolina e outros tantos a gasóleo, com os primeiros a fazerem-se representar pelo 35 TFSi, na prática o 1.5 TFSI com 150 cv e 250 Nm de força, e pelo 45 TFSI, cujo motor é o 2.0 TFSI com 230 cv e 350 Nm. As opções diesel chegam pela mão do 35 TDI, um 2.0 turbodiesel com 150 cv e 340 Nm, para depois surgir o 40 TDI, basicamente a mesma unidade mas com 190 cv e 400 Nm.

Versões eléctricas não estão previstas para o Q3 Sportback, mas as electrificadas estão garantidas. Para já, apenas através do 35 TFSI de 150 cv, uma solução mild hybrid a 48V, obrigando à associação à caixa S-Tronic.

O novo SUV Sportback chega a Portugal em Novembro, por valores acima de 52.000€. Isto coloca o Q3 Coupé apenas 2.500€ acima dos valores praticados pelo Q3.