Rádio Observador

Benfica

Diretor do jornal “O Benfica” critica palavras de José Eduardo Moniz: “Nem queria acreditar no que estava a ver”

José Nuno Martins diz ter sido surpreendido quando José Eduardo Moniz defendeu, em entrevista ao Observador, a limitação de mandatos na liderança do Benfica. E meteu FC Porto e Sporting na conversa.

JOÃO PORFÍRIO/OBSERVADOR

Depois de José Eduardo Moniz ter defendido, em entrevista ao Observador, a limitação do número de mandatos dos líderes do Benfica, uma vez que “ninguém se deve eternizar”, o diretor do jornal “O Benfica”, não poupou nas críticas ao administrador do clube da Luz. “Nem queria acreditar no que estava a ver. Um vice-presidente da SAD e do Benfica a mandar recados pelos jornais sobre o estilo das presidenciais“, atirou José Nuno Martins, em declarações à Benfica TV.

José Nuno Martins criticou ainda o momento em que as declarações de Moniz surgiram, uma vez que considera estar num “dos momentos mais profícuos, mais decisivos e vencedores dos 115 anos do Benfica”. “É surpreendente”, acrescentou, no programa com Leonor Pinhão que foi transmitido esta quarta-feira, utilizando a ironia para questionar se Moniz não terá “um plano secreto” com tudo o que disse.

Como jornalista, também é especialista em agendas e enredos casuísticos da atualidade. Quem sabe se quando ele se voltar a referir à limitação de mandatos presidenciais de clubes não está a lançar a própria candidatura para ir substituir o avozinho de Contumil, no cargo, lá nas Antas, no ano que vem”, lançou ainda José Nuno Martins.

Quando José Eduardo Moniz falou ao Observador, o também administrador do Benfica admitiu que tem um papel limitado na gestão do clube e referiu que “é preciso perceber que os clubes são muito centralizados numa pessoa”, garantindo que não tem a ambição de ser presidente, mas entende que em todas as instituições deve haver limitação de mandatos, embora nunca tenha abordado esse assunto com Luís Filipe Vieira, que está no Benfica há 16 anos.

“Ninguém se deve eternizar. Não quer dizer que não voltemos. Mas acho que tem de se dar oportunidades a outros”.

José Nuno Martins volta a ironizar com uma possível candidatura de Moniz à presidência do FC Porto, a quem se refere como “os Andrades”.

“Poderia ser uma boa saída. Aquilo é extraordinariamente bem pago lá nas Antas. E os ‘Andrades’ até gostariam de ter uma pessoa cosmopolita. É um lobo vestido de avôzinho cosmopolita, que também pode servir para o Campo Grande. Num lado ou noutro é igual”, ironizou, chamando também o Sporting à conversa.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: cpeixoto@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)