Xanana Gusmão chora enquanto beija a testa de um Bacharuddin Jusuf Habibie já debilitado e internado no hospital. A despedida entre o primeiro presidente de Timor-Leste e o terceiro presidente da Indonésia fica marcada não só pela história da liberdade do país asiático mas, também, por um vídeo que mostra a grandeza da relação entre dois homens que foram símbolo de liberdade nos seus países.

B. J. Habibie, ex-presidente da Indonésia, morreu aos 83 anos na última quarta-feira e o velório foi marcado pelas filas de milhares de pessoas a acompanharem o caixão até o cemitério de heróis Kalibata, na capital indonésia Jacarta.

Posted by Alberto XP Carlos on Wednesday, September 11, 2019

Durante o mandato como presidente, que assumiu depois da ditadura de Suharto (presidente durante os anos de 1967 e 1998), Habibie reconheceu as práticas do antigo homólogo contra os direitos humanos, além de ter retirado proibições à imprensa e caminhado o país para eleições livres.

Em janeiro de 1999, o presidente indonésio cedeu à pressão internacional relacionada com a ocupação do território de Timor-Leste, anteriormente uma colónia portuguesa, e anunciou um referendo juntamente com as Nações Unidas para que o país asiático escolhesse entre o estatuto de autonomia ou a independência. Timor-Leste optou pela liberdade.

“Não foram só os indonésios que o perderam — nós também”, disse o primeiro-ministro timorense Taur Matan Ruak, numa publicação no Twitter. “Ele deu-nos duas opções, e agora Timor-Leste é uma nação livre e independente. Adeus, senhor Habibie”.

O governo indonésio declarou três dias de luto.