A polícia espanhola deteve esta segunda-feira na Catalunha nove pessoas ligadas a grupos separatistas radicais desta comunidade autónoma que planeavam ações violentas com explosivos caseiros, segundo fontes da investigação citadas pela agência Efe.

Fontes da Guardia Civil (correspondente à GNR portuguesa), avançaram que os investigadores suspeitam que os detidos, membros das Comissões de Defesa da República (CDR), estavam a planear a realização de ações violentas, tendo sido apreendido material explosivo de fabrico artesanal.

A operação começou às 05h (04h de Lisboa) e está a ter lugar em vários municípios da Catalunha, estando a ser realizadas detenções e buscas principalmente em Sabadell e San Vicente de Torelló. Entretanto, o Ministério do Interior (Administração Interna) espanhol confirmou em Madrid que foram encontradas substâncias que poderiam ser utilizadas para fabricar explosivos.

Em declarações à rádio pública espanhola (RNE) o Ministro do Interior em exercício, Fernando Grande-Marlaska, adiantou que a operação policial está a ser coordenada por um juiz da Audiência Nacional, um tribunal especial que trata de crimes contra o Estado, estando a ser investigados delitos de caráter violento.

Os CDR são conhecidos pela realização de ações contra a ordem pública, como o corte de vias importantes de comunicação, para apoiar o movimento independentista catalão.