França integra o grupo dos cinco maiores mercados da Cupra, fabricante espanhol que pertencente à Seat, assumindo-se como a sua marca desportiva. E, para chamar a atenção para os novos veículos que se prepara para lançar em breve, a gasolina e eléctricos, o fabricante do país irmão com mais salero organizou um evento em Paris, num local deveras curioso.

Como a estratégia da marca passa por conceber e construir modelos emocionantes, a Cupra decidiu que era necessário colocar os convidados dentro dos carros, especialmente porque ao volante estava um piloto profissional do gabarito de Mattias Ekström, duas vezes campeão no DTM e uma no campeonato do mundo de Rallycross.

Porém, em Paris não abundam as pistas onde se possa acelerar à vontade, perseguindo emoções, mas sem fazer perigar a segurança. Daí que a Cupra tenha decidido construir o seu próprio autódromo no topo de um edifício no parque de exposições junto à Porta de Versalhes.

Ao volante de um Cupra Ateca, Ekström não conseguiu atingir os 247 km/h de velocidade máxima do SUV, mas garantiu que, entre a capacidade de aceleração do modelo e altura a que a improvisada pista estava do solo, haveria emoções que chegassem para que todos os convidados levassem para casa uma experiência memorável. Tanto mais que o evento era subordinado ao tema “Cupra: a experiência de condução no telhado”.

Além das sensações fortes ao lado de Ekström, o fabricante espanhol aproveitou para mostrar o Leon, o Formentor – um SUV coupé híbrido plug-in que chegará ao mercado em 2020 e que mostra como será a nova frente da marca –, isto entre os modelos com motor a gasolina. Accionados exclusivamente de forma eléctrica estavam em exibição o e-Racer, o carro de competição que a Cupra está a desenvolver para o campeonato TCR para veículos eléctricos a bateria, bem como o Tavascan, um veículo compacto 100% eléctrico. Também previsto para 2020, o Tavascan promete dimensões exteriores do Leon, mas um habitáculo muito mais generoso.