Há quase um ano que o Sporting não ganhava em casa com uma reviravolta no marcador. A última vez foi na temporada passada, com o Nacional, num jogo em que os leões acabaram por golear por 5-2. E há cinco anos que o Sporting não ganhava em casa para as competições europeias com uma reviravolta no marcador. A última vez foi em 2014, com o Schalke 04, num encontro em que os portugueses bateram os alemães por 4-2. Contas feitas e o resultado do Sporting nesta quinta-feira à noite, perante o LASK, adquire contornos especiais.

Os leões foram para o intervalo a perder, poderiam até ter ido para o intervalo a perder por mais do que um golo, sofreram para manter a desvantagem mínima e acabaram por dar a volta ao marcador ao concretizar dois dos três primeiros remates enquadrados que fizeram à baliza. Menos de uma semana depois de ser apresentado como o novo treinador da equipa principal do Sporting, Silas já leva duas vitórias em duas possíveis, três golos marcados contra um sofrido e o esmorecer de uma crise que parecia cada vez mais difícil de afastar. Numa altura em que muitos internacionais se vão juntar às seleções, a Liga vai parar durante quase um mês e só existirão compromissos da Taça da Liga, Taça de Portugal e Liga Europa, o treinador português conseguiu alcançar uma tranquilidade que escasseava em Alvalade desde o fim de agosto e ganhou tempo, espaço e margem para preparar aquilo que quer que seja o seu Sporting.

Muito apoiado por Bruno Fernandes — que esta temporada já leva sete golos e quatro assistências ao longo de dez jogos –, o Sporting voltou a ganhar em casa 46 dias depois e deu a volta ao resultado depois de estar a perder ao intervalo na Europa apenas pela terceira vez na história (depois do Lierse em 1997 e do Metz em 1996). O capitão, que assistiu Luiz Phellype para o primeiro golo e marcou o segundo depois de já ter apontado o golo da vitória com o Desp. Aves, está mesmo na melhor série goleadora da carreira, já que concretiza há sete partidas consecutivas.

No final do jogo, em declarações na flash interview, Bruno Fernandes garantiu que a equipa não foi surpreendida pelo LASK. “O mister Silas já nos tinha dito que pressionavam forte. Ficámos impressionados pela intensidade, sobretudo. Falámos entre nós o que podíamos ter feito melhor e mostrámos uma dinâmica diferente. Ainda temos falta de confiança e isso notou-se. Cabe agora ao mister usar esta paragem para nos passar todas as mensagens que quer”, explicou o médio, que soube também esta quinta-feira que voltou a ser convocado por Fernando Santos para a Seleção Nacional. “Nós tentamos fazer o nosso jogo. Nós também queremos ver bom futebol. Estamos num clube exigente e sabemos disso. Dissemos ao intervalo que tínhamos de dar mais ao jogo, de assumir o jogo, não dar linhas de passe. Com mais confiança vamos jogar melhor. As ideias de Silas são muito positivas, com posse e ofensivas. Hoje encontrámos dificuldades. O golo do Luiz Phellype deu-nos uma força a mais. Os adeptos deram o apoio que era preciso para chegar ao 2-1”, concluiu Bruno Fernandes.

Já Emanuel Ferro, que substituiu Silas tanto nas orientações ao longo da partida como nas declarações à comunicação social, explicou que esta foi “uma vitória do acreditar dos jogadores e também do público”. “Em tão pouco tempo de trabalho e tantos jogos, com fadiga acumulada, é normal que a vitória nos ajude bastante. Vamos para esta paragem com uma sensação mais positiva, para trabalharmos as novas ideias. Os jogadores estão muito envolvidos e mesmo com ausentes nas seleções vamos estar mais consistentes na próxima jornada”, defendeu o treinador adjunto leonino.