13 de agosto de 2019. Foi há mais de dois meses que o FC Porto recebeu os russos do Krasnodar, foi derrotado no Dragão e eliminado da Liga dos Campeões. Esse resultado, aliado a uma derrota na primeira jornada da Liga perante o Gil Vicente, foi um ponto de viragem para a equipa de Sérgio Conceição, que a partir daí somou oito vitórias consecutivas para todas as competições. O jogo com o Krasnodar, porém, deixou marcas: e muitas delas só foram definitivamente apagadas este sábado.

Contra o Coimbrões, em jogo a contar para a terceira eliminatória da Taça de Portugal, Sérgio Conceição promoveu o regresso de três jogadores que não atuavam precisamente desde o dia 13 de agosto e desde a receção ao Krasnodar: Saravia, Sérgio Oliveira e Aboubakar. O primeiro, interpretado como um dos principais responsáveis pela vitória dos russos no Dragão e prontamente defendido pelo treinador, foi mesmo titular; o segundo, que se lesionou gravemente nesse jogo e só agora recuperou, entrou na segunda parte; e o terceiro, que depois da derrota com o Krasnodar só alinhou uma vez pela equipa B, foi lançado nos instantes finais e ia marcando.

Numa partida da Taça de Portugal que o FC Porto ultrapassou sem dificuldade, goleando a equipa de Vila Nova de Gaia, Sérgio Conceição conseguiu relançar três jogadores que estavam há muito afastados das opções e ainda um outro que não jogava há três semanas, Romário Baró, que também entrou na segunda parte e voltou aos relvados após ter recuperado de uma lesão sofrida com o Santa Clara na Taça da Liga. Além disso, Conceição conseguiu ainda incluir seis jogadores da formação azul e branca no onze que terminou a partida: Diogo Costa, Diogo Leite, Bruno Costa, Romário Baró, Sérgio Oliveira e Fábio Silva.

Este último, Fábio Silva, que na temporada passada foi um dos jogadores em evidência na equipa de Mário Silva que conquistou a Youth League (em conjunto com Romário Baró), andava à procura do primeiro golo pela equipa principal do FC Porto desde o início da temporada. Alcançou o feito este sábado, ao apontar o quinto golo dos dragões, e tornou-se o mais novo de sempre a marcar pelo FC Porto, com 17 anos e três meses: superando Rúben Neves, que era até agora o recordista, e ainda Serafim, Acácio Mesquita e Fernando Gomes.

No final da partida, Sérgio Conceição explicou que “hoje em dia” não existem “jogos fáceis”. “Foi um jogo em que respeitamos muito aquilo que é a equipa do Coimbrões. A nossa preparação do jogo não foi diferente do são os outros jogos e, por isso, acho que foi o primeiro passo para a vitória. Em termos individuais e coletivos o FC Porto está noutro patamar, mas só sendo humilde e respeitando o adversário é que as coisas se tornam fáceis”, acrescentou o técnico dos dragões.

“Não utilizo jogos para dar confiança aos jogadores, eles têm de me dar confiança diariamente naquilo que me mostram e que trabalham no dia a dia”, concluiu Conceição, em referência à utilização de Saravia.