Um homem suspeito de um crime de violência doméstica agravado contra a sua mãe e irmão ficou proibido de os contactar e de se aproximar deles, anunciou esta quinta-feira a Procuradoria-Geral Distrital de Lisboa (PGDL).

“O arguido, de 22 anos, residia com a sua mãe, a qual padece de vários problemas de saúde, e um irmão de 19 anos de idade. Desde há cerca de três anos que o arguido tem infligido maus-tratos psicológicos à ofendida e ao irmão”, refere a PGDL em comunicado.

Segundo o documento, os atos do arguido levam a que a mãe e o irmão “tenham medo” de estar na sua própria casa.

O arguido foi presente a tribunal para primeiro interrogatório judicial e aplicação de medidas de coação.

“O arguido ficou sujeito à medida de coação de proibição de contactar, por qualquer meio, com a ofendida, sua mãe, e com o irmão, proibição de permanecer na residência e no local de trabalho da ofendida e nas proximidades destes, e proibição de se aproximar da escola do irmão, por se julgar verificado, em concreto, os perigos de continuação da atividade criminosa e de perturbação do inquérito”, acrescenta a PGDL.

A investigação prossegue sob a direção do Ministério Público do núcleo da Amadora da Comarca de Lisboa Oeste.