O conselho dos pediatras portugueses para os pais vacinarem os seus filhos contra a meningite W já levou a um aumento da procura pela vacina conjugada ACWY e até à rutura em stock deste produto. Segundo o Jornal de Notícias (JN), a Autoridade Nacional do Medicamento (Infarmed) teve até de emitir uma Autorização de Utilização Excecional para a vacina poder vir da Holanda, o único país onde foi possível adquiri-la.

Este conselho da Sociedade Portuguesa de Pediatria foi dado após se verificar um aumento nos casos de meningite W. De acordo com a Direção-Geral de Saúde (DGS), este ano foram registados oito casos do serogrupo W de meningite, mais três em relação ao ano passado e mais sete do que em 2017, tendo a maioria ocorrido em adultos. Esta vacina, que custa cerca de 50 euros, não está incluída no Plano Nacional de Vacinação, mas as recomendações levaram a uma corrida por ela.

O Infarmed indicou ao JN que, este ano, “na sequência de um aumento do número de casos de doença meningocócica infantil, praticamente duplicou o consumo [da vacina] face ao ano anterior”. Acrescentou ainda que apesar de ter “conseguido reforçar o seu reabastecimento”, registou “um período de rutura entre setembro e outubro, mais concretamente até ao dia 17 do corrente mês, cuja distribuição rapidamente se escoou no prazo de uma semana, causando nova situação de rutura”. A vacina, acrescenta, deve chegar a Portugal no dia 5 de novembro.

Em 2017, o relatório do Centro Europeu de Prevenção e Controlo das Doenças indicava que o serogrupo B é o mais predominante, com 51% dos casos na Europa, seguindo-se o grupo W, que conseguiu ultrapassar o C, com 17%. Os grupos que provocaram maior mortalidade foram o C e o W, com 15% e 14%, respetivamente.

DGS: Vacina só é recomendada a viajantes

A vacina que protege contra o serotipo W da meningite, que está esgotada nas farmácias, apenas é recomendada pelas autoridades de saúde a quem viaja para a Arábia Saudita e algumas zonas de África, esclareceu esta quarta-feira a diretora-geral da Saúde.

Em declarações aos jornalistas, Graça Freitas deixou uma mensagem de “tranquilidade para os portugueses”, sublinhando que a situação dos casos de meningite está sempre a ser acompanhada e que não há qualquer rotura no fornecimento da vacina que protege do serotipo W da meningite, que não faz parte do Programa Nacional de Vacinação (PNV), mas apenas uma interrupção de fornecimento, que será reposto em breve.

Questionada pela Lusa, Graça Freitas explicou que a agressividade do serotipo W é idêntica ao do serotipo C, para o qual existe uma vacina no PNV.