A polémica em torno da entrevista do príncipe Andrew à BBC2, onde nega categoricamente ter abusado sexualmente de Virginia Guiffre, à data menor de idade, está longe de acabar. Três dias após as declarações do filho de Isabel II, que internacionalmente estão a ser consideradas um desastre, o The Mirror noticia que Guiffre, hoje com 35 anos, já antes tinha dado uma entrevista à BBC, para o programa Panorama, a qual ainda não foi emitida.

A conversa entre Virginia Guiffre e os jornalistas da BBC, na qual crê-se que são reiteradas todas as acusações feitas contra o príncipe, terá acontecido três semanas antes da entrevista deste. Guiffre estará “furiosa” pelo facto da entrevista que protagoniza ainda não ter sido emitida. Existe especulação nos EUA que o atraso serviu para não prejudicar a aparição do duque de York no programa Newsnight da BBC, no último sábado.

Segundo uma fonte consultada pelo The Mirror, a equipa legal de Guiffre desconhece o motivo que terá levado a estação a manter a entrevista em stand by. “Todas as outras estações emitiram as entrevistas quase imediatamente, mas a BBC não. Várias pessoas a trabalhar no caso de Virginia questionam-se porque terá ficado retida e se isso não terá acontecido para não prejudicar a entrevista com o duque. Durante a entrevista, ela é questionada sobre o porquê de Andrew ter permanecido em silêncio. Óbvio que isso já não é o caso”, diz a mesma fonte não identificada.

Fontes próximas da BBC asseguram que a conversa ainda não foi emitida porque faz parte de “uma investigação maior”. O mesmo jornal acrescenta que os produtores viajaram até aos EUA para questionar Virginia e que agora estão indecisos sobre se voltam ou não a interrogá-la depois das declarações do príncipe Andrew. Um porta-voz da BBC esclareceu ainda: “Nunca comentamos uma investigação a decorrer”.

Mas esta é de longe a única notícia que marca a atualidade em volta do caso que une o milionário Jeffrey Epstein, que morreu em agosto deste ano enquanto aguardava julgamento, depois de ter sido detido por suspeitas de tráfico sexual e abuso de menores, e o príncipe Andrew. Também o The Mirror e o The Daily Mail reúnem várias fotografias do duque tiradas na companhia de diferentes mulheres e em ambiente de festa, retratos esses que contrariam o que o duque afirmou em entrevista à BBC: que não tinha por hábito participar em festas e que evitava demonstrações públicas de afeto.

Ainda esta terça-feira, o The Guardian faz manchete com uma nova mulher que acusa Jeffrey Epstein de cometer “agressão sexual cruel e prolongada” quando ela tinha apenas 15 anos. Esta mulher, que se identifica como “Jane Doe 15”, pediu ao duque de York para fornecer toda a informação que tiver sobre o milionário de quem foi amigo durante anos. Numa conferência de imprensa realizada na segunda-feira, “Jane Doe 15” afirmou que o príncipe Andrew e todos aqueles próximos de Epstein devem chegar-se à frente e prestar declarações sob juramento.

A entrevista que o duque de York deu à jornalista Emily Maitlis durante o programa Newsnight, no último sábado, tem provocado ondas de choque nos dois lados do Atlântico.  Advogadas que representam 10 vítimas do predador sexual milionário apontaram a falta de remorsos demonstrada pelo príncipe, mas também a defesa implausível deste e exigem que fale com o FBI. As declarações de Andrew — que estão a ser duramente criticadas na imprensa britânica — podem ser usadas contra ele num interrogatório.