O valor em bolsa tem muito mais a ver com as perspectivas no futuro do que com o valor real da empresa, ou seja, tem muito mais a ver com o que a empresa pode a vir alcançar e não tanto com a sua situação actual. Daí que seja surpreendente o que os accionistas acreditam na Tesla, a ponto de colocarem a marca de veículos eléctricos como a mais valiosa entre todas as americanas, onde se incluem gigantes como a General Motors, Ford e Fiat Chrysler Automobiles.

Mas a Tesla já não é puramente um fabricante limitado ao mercado americano, ou a produzir somente 100.000 veículos por ano, como acontecia até há dois anos. Em 2019 vai aproximar-se das 400.000 unidades, valor que vai crescer consideravelmente em 2020, com o arranque da Gigafactory 3, na China, que pode produzir mais 300.000 veículos/ano, para a Gigafactory 4, que deverá estar operacional na Alemanha dentro de dois anos, assegurar outro tanto. Daí que os mercados estejam agora mais animados com o futuro da Tesla, tanto mais que vem aí o Model Y, que rapidamente se deverá tornar no best seller da marca, a que seguirá o Roadster, o Semi e a Cybertruck.

Tudo isto contribui para que a Market Cap lhe atribua um valor de 63,07 mil milhões de dólares, fruto de as acções terem um valor unitário de 349,93$, o que permitiu à Tesla ultrapassar a Daimler (valorizada em 62,78 mil milhões de dólares). À frente do pequeno fabricante de automóveis a bateria, apenas o Grupo Volkswagen, com as suas 11 marcas, mantendo-se o Grupo Toyota na liderança.