A Entidade Reguladora para a Comunicação Social (ERC) deu razão ao Jornal de Notícias e condenou o Benfica por ter negado a entrada daquele jornal no estádio da Luz, noticia esta sexta-feira o próprio JN.

Segundo o jornal, a ERC determinou que a atitude do clube lisboeta “consubstancia uma manifestação intolerável de justiça privada” e é “ilegal e discriminatória à luz dos artigos 9.º e 10.º do Estatuto do Jornalista“.

Além disso, a ERC considera que ao negar a entrada de jornalistas em dois jogos (contra o Portimonense em 30 de outubro e contra o Rio Ave em 2 de novembro), o Benfica pode ter cometido “um crime de atentado à liberdade de informação”.

O acórdão da ERC deixa ainda o aviso ao Benfica: a decisão é vinculativa e o clube tem de começar de imediato a cumprir de forma “integral e em condições de absoluta igualdade” o direito de acesso dos jornalistas. Em caso de não acatamento, tal como prevê a lei nestes casos, o Benfica incorre num crime de desobediência.

O Jornal de Notícias apresentou duas queixas na PSP depois de os seus jornalistas terem visto as suas acreditações recusadas no estádio da Luz em dois jogos do campeonato. Na altura, o Sindicato dos Jornalistas apoiou o caso do JN e apresentou uma queixa na ERC contra o Benfica.

O clube, por seu turno, justificou a decisão na sua newsletter. No texto, o Benfica disse lamentar “que, passados quatro dias das insultuosas declarações, amplamente divulgadas e comentadas, por parte de um jornalista do Jornal de Notícias, durante a conferência de imprensa realizada pelo treinador Jorge Jesus no final do jogo Flamengo — CSA, até hoje, da parte da Direção daquele órgão de Comunicação Social, não exista nenhum esclarecimento sobre se aquela intervenção se identifica ou está de acordo, ou não, com as orientações da sua linha editorial”.

Por isso, o clube decidiu “não acreditar e autorizar o acesso às suas instalações por parte de representantes de um órgão de comunicação social que não se comporta como tal, de acordo com todos os códigos orientadores do setor e da prática do jornalismo”.

O Benfica referia-se à questão colocada pelo jornalista Miguel Gaspar a Jorge Jesus no final do jogo do Flamengo contra o CSA, durante a qual o repórter se identificou como sportinguista e formulou múltiplos elogios ao treinador e deixou um ataque ao Benfica.

“Queria dizer-lhe que a sua primeira época no Sporting foi incrível e nós devíamos ter sido campeões. Esse campeonato foi-nos roubado. Foi o campeonato que ficou conhecido como o campeonato dos padres. Foi-nos roubado, devíamos ter sido campeões. Foi incrível”, afirmou o jornalista, referindo-se à época 2015/2016, em que o Benfica foi campeão com 88 pontos e o Sporting ficou em segundo lugar com 86.

[Veja o momento em questão a partir do minuto 23:28 da transmissão da conferência de imprensa:]