Virginia Giuffre, a mulher norte-americana que acusa o príncipe André de ter abusado sexualmente dela como parte do esquema de tráfico de raparigas liderado pelo milionário Jeffrey Epstein, pede aos britânicos que a apoiem neste processo e reafirma que foi forçada a manter relações sexuais com o príncipe numa entrevista dada à BBC e emitida esta segunda-feira.

Nos primeiros excertos da entrevista, revelados no site da BBC, a norte-americana que diz ter sido coagida a ter relações sexuais com o príncipe britânico em três ocasiões, quando tinha apenas 17 anos, fala diretamente aos britânicos: “Imploro às pessoas no Reino Unido que fiquem a meu lado, que me ajudem a levar a cabo esta luta, que não aceitem isto”, declarou. “Isto não é uma história sexual sórdida. Isto é uma história sobre tráfico [humano]. Isto é uma história de abuso e é uma história do tipo da vossa realeza”, acrescentou a norte-americana.

Virginia Giuffre explicou ainda que teve relações com o príncipe André coagida pela socialite Ghislaine Maxwell que, de acorda com a acusação que corre nos Estados Unidos, funcionaria como uma espécie de procuradora do milionário Epstein (que se suicidou na prisão) para arranjar raparigas menores que fariam parte do grupo com quem Epstein e alguns amigos mantinham relações sexuais.

Segundo a norte-americana, foi Maxwell que a levou a ela e ao príncipe à discoteca Tramp, em Londres, e que lhe disse à saída o que deveria fazer: “No carro, Ghislaine disse-me que tinha de fazer com o Andrew aquilo que fazia com o Jeffrey e isso deixou-me enjoada”, afirmou Giuffre. A alegada vítima garantiu que teve relações com o príncipe no apartamento da socialite em Belgravia, nessa noite.

Ele é o dançarino mais horrível que eu já vi na vida”, declarou ainda a norte-americana, referindo-se à experiência com o príncipe André na discoteca. “O suor dele era [tanto], como se estivesse a chover por todo o lado.”

A entrevista de Virginia Giuffre à BBC foi gravada antes da entrevista do príncipe André ao mesmo canal, que acabaria de forma desastrosa, com o príncipe a ser afastado das suas responsabilidades oficiais. Nessa entrevista, o príncipe afirmou ter uma doença que faz com que não sue, que não estava com Virginia na data que ela aponta porque tinha ido a uma pizzaria e onde sugeriu que a foto dos dois que circula pode ser uma manipulação.

A própria Virginia já tinha antecipado essa reação, dizendo à BBC que poderiam surgir desculpas do género: “Isso é uma treta. Ele sabe o que aconteceu, eu sei o que aconteceu. E só um de nós está a dizer a verdade”, garantiu a alegada vítima.

Em reação a esta entrevista da norte-americana, o Palácio de Buckingham declarou à BBC que o príncipe André “tem uma profunda compaixão pelas pessoas afetadas” pelo escândalo de Epstein, mas negou uma vez mais as acusações de Virginia: “É negado enfaticamente que o duque de Iorque tenha tido qualquer forma de contacto sexual ou relação com Virginia Roberts.”