A presidente executiva do grupo Luz Saúde apelou a todas as forças da sociedade que unam forças para encontrar soluções para os desafios decorrentes do envelhecimento da população.

“Deixo aqui um apelo aos políticos, aos atores do setor privado, à APS, para que se cheguem, efetivamente, a soluções ou, pelo menos, para mitigar” o que já é a realidade, afirmou Isabel Vaz, presidente executiva do grupo Luz Saúde, na conferência anual da APS — Associação Portuguesa de Seguradores, sobre o tema “Idade nunca vem só: como responder aos desafios da vida”, que decorreu esta quinta-fera em Lisboa.

“Temos de juntar todas as forças da sociedade para encontrar soluções para o nosso país. É preciso unir forças para resolver este problema”, insistiu Isabel Vaz, frisando que APS e Serviço Nacional de Saúde (SNS) são fontes privilegiadas de dados nesta matéria.

“Estamos perante um desafio brutal”, disse também a presidente do grupo Luz Saúde, destacando os custos para a sociedade e alertando para o “barulho mediático sobre antagonismos público-privado”, que não favorece que se encontrem soluções.

Isabel Vaz salientou também que Portugal é um país com “muita carga de doença”, apontando a elevada “prevalência de diabetes, hipertensão, artrite reumatoide, cancro e demência”. “Cerca de 50% de todos nós vamos ter cancro, cerca de 50% vamos ter Alzheimer, outros terão as duas”, antecipou.

Na sua intervenção, a presidente do grupo Luz Saúde referiu ainda um outro desafio, o do envelhecimento dos profissionais de saúde, e destacou a importância do “valor que as pessoas mais velhas trazem para a sociedade, muito além dos custos” que lhes podem estar associados.