Parte do teto do MAAT – Museu de Arte, Arquitetura e Tecnologia, localizado em Lisboa, cedeu esta quinta-feira devido ao mau tempo que se fez sentir nas regiões centro e norte do país. A confirmação foi dada esta sexta-feira pela Fundação EDP, responsável pelo museu.

Em comunicado enviado ao Observador, a Fundação EDP revela que “estava já previsto” que o MAAT fechasse “entre fevereiro e março para obras de manutenção e melhoria”, de modo a “adaptar o espaço à nova programação de 2020 e 2021”. Face aos danos no edifício, o MAAT encerrará mais cedo do que o esperado e estará fechado também em janeiro, de modo a “repor a parte do teto que cedeu devido às condições atmosféricas extremas e às fortes rajadas de vento que ocorreram na tarde de 19 de dezembro”.

Os efeitos do mau tempo no MAAT – Museu de Arte, Arquitetura e Tecnologia (@ Nuno Viegas / Observador)

Garantindo que no MAAT “não foram registados quaisquer danos pessoais” devido ao mau tempo e à depressão Elsa que afetou Portugal esta quinta-feira, a Fundação EDP acrescenta que aproveitará a interrupção para “acelerar a conclusão do restaurante do MAAT, cuja abertura está prevista para a primavera de 2020″.

Apesar do encerramento do museu, o edifício da Central Tejo continuará aberto e continuará a exibir as exposições “Economias de Meio no âmbito da Trienal de Arquitetura de Lisboa, Dreamers Never Learn de Vasco Barata e AWDIˈTƆRJU de Pedro Tudela”, além da “exposição permanente” do edifício, indica ainda o comunicado.

Mau tempo. Rio Douro galgou margens no Porto e Gaia. Nível do Tejo vai subir nas próximas horas