Linda Ronstadt está reformada, deixou uma longa e bem sucedida carreira na música para trás — iniciada ainda nos anos 1960, terminada em 2011 e recheada de êxitos, discos e prémios conquistados, como dez estatuetas Grammy — mas continua a agitar o mundo do entretenimento. Desta vez, pela contundência com que atacou publicamente o presidente norte-americano Donald Trump. Em declarações à CNN, a cantora de “Long Long Time” e “Blue Bayou”, nascida em Tucson, no estado do Arizona, comparou Trump ao ditador alemão Adolf Hitler.

Atualmente com 73 anos, Linda Ronstad afirmou em entrevista ao jornalista e apresentador de televisão norte-americano Anderson Cooper que o percurso de Trump e de Hitler são semelhantes. Ou melhor, “é exatamente a mesma coisa” e bastava “ler e conhecer a história” para “não ficar surpreendido” com a sua eleição, referiu, citada pela Huffington Post.

Eis como a cantora descreveu o modus operandi de Trump e Hitler:

Encontrar um inimigo comum para toda a gente odiar. Tive a certeza que Trump seria eleito no dia em que anunciou [a candidatura] e disse: vai ser como o Hitler e os mexicanos são os novos judeus. E claramente foi isso que aconteceu”.

Para a cantora que vendeu mais de 100 milhões de cópias de discos ao longo da carreira e que entrou no Rock and Roll Hall of Fame em 2014, até os percursos de Trump e Hitler anteriores às chegadas ao poder são semelhantes, já que também a elite alemã teve uma oportunidade de travar o ditador e não o fez. “Pensavam que poderiam controlá-lo assim que ele [Hitler] tivesse poder e claro que não era controlável”, apontou, traçando um paralelismo com a forma como Trump foi visto quando ainda era candidato.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Enquanto candidato à presidência dos Estados Unidos da América, Donald Trump elegeu como uma das suas prioridades caso fosse eleito presidente um combate mais duro à imigração ilegal, nomeadamente a proveniente do México, mencionando até a construção de muro que separasse os dois países para travar a circulação de pessoas à margem da lei. Já Adolf Hitler levou a cabo, durante o regime nazi, um massacre de judeus que terá provocado cerca de seis milhões de vítimas mortais e trabalhos forçados em campos de concentração.

Esta não é a primeira vez que alguém arrisca uma comparação entre o presidente nos Estados Unidos da América e um dos mais sanguinários e autocráticos líderes políticos da história da Humanidade. Em 2016, o antigo presidente mexicano Vicente Fox tinha dito que Trump levaria os EUA “de volta aos antigos tempos de conflito, guerra e tudo. Quero dizer que ele faz-me lembrar Hitler. Foi assim que ele começou a falar”.