Vários ataques aéreos atingiram, na noite de quinta para sexta-feira, diferentes alvos pertencentes às milícias iranianas ao longo da fronteira entre a Síria e o Iraque. O incidente terá provocado oito mortos,  diz o Jerusalem Post.

De acordo com a Associated Press (AP), que cita o Observatório Sírio para os Direitos Humanos e vários grupos ativistas no local, os ataques feitos por aviões não identificados atingiram vários alvos, incluindo depósitos de armas e viaturas com armamento pertencentes às milícias pró-iranianas, perto de Abu Kamal, na Síria.

O Jerusalém Post refere ainda que os ataques tinham como alvo um carregamento de armas para o Hezbollah.

O incidente provocou várias explosões. A Síria e o Iraque ainda não confirmaram o ataque, acrescenta a AP.

A zona atingida pertence a um corredor terrestre de circulação que liga Irão ao Líbano, passando pelo Iraque e pela Síria. Segundo o Observatório Sírio para os Direitos Humanos, o presidente russo, Vladimir Putin, terá informado Bashar Al-Assad, numa visita que fez recentemente à Síria, que os Estados Unidos pretendem encerrar esta ligação terrestre.

Os ataques desta quinta-feira ocorrem após outros efetuados pelos Estados Unidos no Iraque e que levaram a escalada de tensão com o Irão. No dia 29 de dezembro, os EUA atingiram uma base da milícia iraquiana, apoiada pelo Irão, matando 25 pessoas em retaliação a ataque a uma base militar norte-americana perto de Kirkuk que provocou a morte a um cidadão norte-americano. E depois, a 3 de janeiro, matou um dos homens mais poderosos do Irão e do Médio Oriente, Qassem Soleimani, líder da Guarda Revolucionária do Irão, num ataque por drone, no aeroporto de Badgade.

Explicador. O que levou os EUA a matar Soleimani e o que ainda pode vir por aí