Se Rui Rio não vai até à televisão, Luís Montenegro vai até ao Twitter. O candidato que ficou em segundo lugar desafiou o vencedor da primeira volta para um debate televisivo, mas o atual líder recusou e o mais perto que vai estar de um frente-a-frente com Rui Rio é nesta rede social. No Twitter, Rui Rio tem uma forma de comunicar muito própria e, na última segunda-feira, contou uma espécie de anedota que pretendia destacar a forma como os apoiantes de Luís Montenegro fazem leituras de resultados eleitorais diferentes de acordo com a conveniência política.

– Professora: “Qual é a diferença entre um desastre eleitoral e um resultado jeitoso?”

– Zéquinha:0,4%! Sra. professora! Porque quando em Outubro o PS teve mais 8,5% do que o PSD, eles acharam que houve um desastre. E agora que perderam por 8,1%, acham que tiveram um resultado jeitoso.

Luís Montenegro aproveitou a deixa para criticar Rui Rio, pois o líder tinha alegado não fazer um novo debate esta semana por o primeiro ter sido “desprestigiante” para o partido. O espinhense acusa Rio de “arrogância” numa “graçola” que considera que “não enobrece a política, o PSD e o seu autor”. Montenegro afirma que “o país e o PSD precisavam de um debate televisivo sério e esclarecedor” e acrescenta que “percebe-se” agora por que Rio tinha medo que o debate fosse “desprestigiante”.

No último sábado, na fase final do discurso, Luís Montenegro dirigiu “um convite ao dr. Rui Rio, um convite para que ele aceite, desde já, fazer pelo menos um debate televisivo na próxima semana”. Para Montenegro “o debate é essencial para ajudar os militantes a tomar a decisão final no próximo dia 18”. E acrescentaca: “Não podemos fugir à nossa responsabilidade de debater o futuro do PSD e sobretudo o futuro de Portugal. E como fizemos até aqui: de o fazer com elevação e sentido de responsabilidade.”

Rui Rio não demorou a responder e quando falou minutos depois, dizendo que o único debate a três na televisão “não foi prestigiante” e não favoreceu a imagem do partido. “Mantenho a mesma posição, não mudo por ir para segunda volta. Participei num debate e acho que não foi prestigiante para o PSD. Portanto, um debate para uma eleição interna corre sempre o risco de acontecer aquilo”, disse.