Depois de ter realizado o último encontro oficial com o Rio Ave a 26 de abril, apenas cinco dias antes de sofrer um enfarte do miocárdio num treino matinal do FC Porto, Iker Casillas aparece pouco mas aparece bem. E o último clássico no Dragão foi mais um bom exemplo disso, com o guarda-redes a chamar a atenção pela forma como foi apanhado pelas câmaras a celebrar os golos e a vitória dos azuis e brancos frente ao Benfica. Apesar das várias notícias que davam conta do final da carreira, o número 1 recusou sempre atirar a toalha ao chão e de quando em vez coloca imagens nas redes sociais da sua recuperação. Só mesmo um grande desafio poderia tirar o foco do regresso ao antigo guardião do Real Madrid – um grande desafio que pode ter agora chegado.

Iker Casillas. “Tudo controlado por aqui, um susto grande, mas com as forças intactas”

De acordo com o programa “El Larguero” da SER, numa informação que rapidamente se tornou transversal a toda a imprensa espanhola e será inclusivamente a capa do jornal Marca esta quarta-feira, Iker Casillas irá concorrer à liderança da Real Federação Espanhola de Futebol, tendo mesmo anunciado essa sua decisão ao Conselho Superior do Desporto do país. A Marca acrescenta mesmo os resultados de uma sondagem feita sobre a possibilidade que dá ao guarda-redes uma percentagem favorável de 94% a favor dessa possibilidade.

Inscrição de Casillas é sinal da vontade de um “grande campeão”, diz Sérgio Conceição

Soube-se entretanto que Casillas, de 38 anos, a viver no Porto onde continua a trabalhar com o grupo de trabalho comandado por Sérgio Conceição (embora num regime diferente), foi reunindo nas últimas semanas com alguns dos seus antigos companheiros de seleção no sentido de perceber as suas opiniões sobre a candidatura. Carles Puyol e Andrés Iniesta, ambos antigos capitães do Barcelona, foram dois exemplos. Mediante isso, o número 1 decidiu que, com mais ou menos apoios, será sempre rival do atual presidente da Federação, o polémico Luis Rubiales – que da má gestão desportiva dos casos Lopetegui e Luis Enrique/Moreno à guerra aberta com o líder da Liga, Javier Tebas, passando por outros casos internos, tem estado no olho do furacão.

Da aula de desenho à lenda da baliza. Foi un rato, Casillas

O “El Larguero” dá ainda mais um detalhe sobre a conversa com a nova líder do Conselho Superior do Desporto, Irene Lozano: agora que já manifestou o seu desejo de concorrer para pacificar o futebol espanhol em termos federativos depois da convulsão dos dois últimos anos, existe a possibilidade de haver eleições ainda antes da fase final do Campeonato da Europa (o prazo seria apenas até ao final do terceiro trimestre de 2020, em setembro), algo pedido por Rubiales mas que foi recusado pelo Tribunal Administrativo do Desporto.

Iker Casillas para presidente da Federação espanhola?

Confirmando-se a informação, isso irá significar também o final da carreira de jogador de Iker Casillas, que depois de passar um quarto de século desde o início da carreira até aos 33 anos no Real Madrid se transferiu em 2015 para o Estádio do Dragão. Algo que, em algumas ocasiões em que chegou a ser ventilado, o guarda-redes foi sempre negando, mostrando-se sobretudo focado na total recuperação física depois do grave problema a 1 de maio. Antes do ex-internacional, também o nome de Mariano Rajoy chegou a ser levantado como figura capaz de gerar consensos para derrubar Rubiales, um plano que o próprio antigo primeiro-ministro recusou.

Iker Casillas continua fora dos relvados pelo menos até março