O volume final da trilogia da inglesa Hilary Mantel sobre a ascensão e queda de Thomas Cromwell, ministro de Henrique VIII, pode vir a ultrapassar em número de vendas o último romance de Margaret Atwood, Os Testamentos. Na primeira semana nas livrarias do Reino Unido, a sequela de A História de Uma Serva vendeu 103.177 exemplares. TheMirror & the Light pode vir a ter melhores resultados.

De acordo com os responsáveis da cadeia de livrarias Waterstones, que está a disponibilizar o livro de Mantel em regime de pré-venda, a operação está a correr “extremamente bem”. O número de volumes encomendados até ao momento já ultrapassou o de Os Testamentos, que foi a obra mais vendida em pré-venda no ano passado, adiantaram à revista The Bookseller.

O lançamento de The Mirror & the Light é considerado o maior acontecimento literário de 2020 no Reino Unido. O muito aguardado volume surge oito anos depois de Bring Up the Bodies, o livro anterior, e 11 anos depois de Wolf Hall, o volume inaugural da trilogia.

Wolf Hall ganhou, no ano do seu lançamento, o Booker Prize, o mais importante prémio literário de língua inglesa. Em 2018, foi finalista do Golden Booker, criado para comemorar os 50 anos do galardão, e, em 2019, foi considerado pelo jornal The Guardian o melhor trabalho de ficção em inglês publicado depois de 2000, numa lista disputada por autores como J.K. Rowling, Bob Dylan, Ali Smith ou Colson Whitehead.

A sequela, Bring Up the Bodies, ganhou igualmente o Booker Prize, uma proeza que pode ser repetida este ano com The Mirror & the Light. O lançamento do livro, a 5 de março, será assinalado com um grande evento, no dia anterior, na livraria Waterstones de Picadilly, que contará com a presença da autora. Este será aberto a apenas 200 leitores, que terão acesso a uma cópia assinada por Mantel antes do lançamento oficial, à meia-noite. Além da sessão de autógrafos, o evento irá incluir música e workshops. Os bilhetes vão ser colocados à venda esta sexta-feira.