Os números falam por si. O C_Two anuncia 1914 cv, valor que até envergonha o Bugatti Chiron (que tem “só” 1500 cv), um binário de 2300 Nm e um peso inferior a 2000 kg, um cocktail explosivo que explica os 412 km/h de velocidade máxima, bem como a aceleração de 0-100 km/h em apenas 1,85 segundos.

Como se isto não bastasse, a Rimac prevê ainda 550 km de autonomia, fruto da energia que aloja na bateria com uma capacidade de 120 kWh, o novo recorde do mercado. Estes valores correm o sério risco de envergonhar todos os concorrentes, mesmo os modelos que envergam os emblemas mais venerados do mercado.

Os mais distraídos poderiam pensar que a Rimac, que é um construtor jovem, anuncia estas performances de fazer crescer água na boca por mera sorte, porém a realidade é que o fabricante croata domina muito mais tecnologias do que se poderia pensar. Além de produzir sistemas Kers para a F1, a Rimac foi ainda a empresa escolhida para fornecer o sistema eléctrico do híbrido Valkyrie, que a Aston Martin irá começar a entregar este ano. Outra prova que a Rimac é um verdadeiro “poço” tecnológico é confirmado pelo facto da Porsche ter adquirido 10% da empresa, apenas para conseguir adquirir em situação vantajosa a tecnologia que lhe permita melhorar os seus modelos eléctricos a bateria.

Para mostrar o actual estágio de evolução do C_Two, a Rimac produziu um vídeo com duas unidades a rodar em pista, a primeira a trabalhar para encontrar a melhor afinação para a suspensão, visando optimizar o comportamento, para com o segundo desportivo aproveitar para definir o pack aerodinâmico ideal, tanto mais importante quanto o modelo possui elementos activos.

As imagens agora reveladas antecedem a apresentação definitiva do C_Two, que vai ter lugar já nos primeiros dias de Março, durante o salão de Genebra. No certame suíço será igualmente confirmado o calendário das entregas para os 150 unidades a produzir.