O Irão libertou o investigador francês Roland Marchal, que chegará a França este sábado ao meio-dia, anunciou o Palácio Eliseu.

O presidente Emmanuel Macron “tem o prazer de anunciar a libertação de Roland Marchal, preso no Irão desde junho de 2019”, refere a Presidência francesa em comunicado.

Roland Marchal, especialista em conflitos subsarianos, estava preso no Irão há nove meses acusado de fazer “propaganda contra o regime” e de “conspirar para cometer atos contra a segurança nacional”.

No mesmo texto, França “insta as autoridades iranianas a libertarem imediatamente o compatriota Farida Adelkha”, investigador franco-iraniano detido na mesma altura e ainda preso no Irão — as autoridades de Teerão não reconhecem a dupla nacionalidade.

Tanto Adelka como Marchal reclamaram desde o início a sua inocência. O primeiro chegou a estar em greve de fome durante 49 dias; a saúde do segundo, diz a France24, tem vindo a deteriorar-se nos últimos tempos.