O pedido foi feito diretamente por parte do Hospital de São Francisco Xavier (HSFX), em Lisboa, à SOS.Covid19.Portugal, que já conseguiu angariar cerca de 100 mil euros para equipamentos de proteção que doou a vários hospitais portugueses e tem neste momento a decorrer outra campanha idêntica, mas para dotar de máscaras, luvas e protetores de sapatos os funcionários de lares e de instituições de cuidados continuados.

“Foi-nos solicitada a disponibilização de equipamentos de dois tipos, nomeadamente tablets e telemóveis, para facilitar a comunicação visual entre doentes e seus familiares, de forma a melhorar a qualidade de vida ou a dignidade em fim de vida dos doentes que permanecerão em isolamento físico em relação às suas famílias durante todo o tempo de internamento”, diz ao Observador Mariana Roque do Vale, empresária e uma das responsáveis pelo movimento, que fez a ponte entre o São Francisco Xavier e a Worten, empresa que doou os equipamentos.

SOS.Covid.19 lança nova campanha para angariar máscaras. Desta vez para doar a lares e outras unidades de cuidados continuados

Ao todo, ainda esta segunda-feira, serão entregues ao hospital dez tablets e dez telemóveis, dois para cada uma das dez alas de isolamento para doentes com covid-19 no hospital. “O papel essencial que desempenham as famílias e amigos nos cuidados e recuperação de pacientes hospitalizados é amplamente reconhecido, e na situação atual parece-nos imprescindível que seja facilitado o acesso a vias de comunicação alternativas, para que esta ligação não se perca e para que os relatos dramáticos da doença e morte em solidão não se repliquem no nosso país”, acrescenta a representante da SOS.Covid19.Portugal, que revela ainda que bastou um telefonema para fazer com que a empresa apoiasse a causa.

“Falámos com o diretor geral da Worten, que já estava a par do nosso movimento, coordenámos e apesar de a Worten já ter ajudado diretamente outras causas apoiou o nosso movimento e acedeu ao pedido.”

Sustentado por exemplos internacionais, de outros hospitais onde foram implementados sistemas para facilitar a comunicação entre doentes com Covid-19 e respetivos familiares, o pedido formal do HSFX foi fundamentado pelo Núcleo de Resposta de Saúde Mental a Acidentes Graves ou Catástrofes do Centro Hospitalar de Lisboa Ocidental, a partir de uma ideia dos responsáveis da Unidade de Cuidados Intensivos Polivalentes do hospital.

Uma vez entregues os equipamentos, as atenções da SOS.Covid19.Portugal vão voltar a centrar-se na campanha de angariação a favor da União de Misericórdias. “Os lares estão efetivamente numa situação muito complicada. Imensos voluntários estão a ir para os lares mas a proteção individual é essencial. Queremos muito que esta campanha dos lares corra bem, os idosos não podem ser esquecidos”, diz Mariana Roque do Vale.